Políticas de Conservação e Proteção Ambiental: Estudo de Caso das Nascentes do Ribeirão Piancó em Anápolis, Goiás

  • Anderson Dutra e Silva
  • Vanice Fernandes de Araújo Alvarenga
  • Tadeu José de Carvalho Jr
  • Ricardo José Gomes de Oliveira
  • Sueni Conceição Moreira Youssef
  • Maria Gonçalves da Silva Barbalho
  • Josana de Castro `Peixoto
Palavras-chave: Goiás, Cerrado, Anápolis, recursos hídricos.

Resumo

A partir do final do século XIX, alguns cientistas e pesquisadores se destacam na discussão sobre a proteção da natureza. Já, entre os anos de 1920 a 1940, um grupo unido pelo nacionalismo passa a ser respeitado pelo governo Vargas, contribuindo para a criação de leis e códigos ambientais. No entanto, a pressão desenvolvimentista fez com que a aplicação destas leis só se desse a partir dos anos 1980. Com o grande desenvolvimento urbano ocorrido neste intervalo de tempo, as cidades brasileiras passaram a conviver com sérios problemas ambientais, em especial, a contaminação dos mananciais. Fundamentados na constituição de 1988, cria-se o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC) e o Estatuto da Cidade. Com base no Plano Diretor da cidade de Anápolis, Goiás, fez-se um estudo da região descrita como Macrozona do Rio Piancó, que é a principal fonte de abastecimento da cidade. Foi realizada uma avaliação do Projeto SER Natureza, executado no município estudado com intuito de preservar as nascentes do Rio Piancó através de ações de Educação Ambiental e do cercamento das Áreas de Proteção Permanente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-16
Seção
Cerrado, Recursos Naturais e Bacia Hidrográfica