A perspectiva ambiental na escola indígena “Gatén” da comunidade Kaingang Foxá de Lajeado/RS

  • Fabiane da Silva Presres
  • Luís Fernando da Silva Laroque
Palavras-chave: Educação Ambiental, Indígena, natureza

Resumo

Os Kaingang representam a maior população indígena do Brasil Meridional, somando, atualmente, aproximadamente trinta e oito mil indivíduos. Este grupo indígena distribui-se entre os quatro estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. A comunidade em análise está localizada no Vale do Taquari, no município de Lajeado/RS e é denominada Foxá, cujo significado em português é relacionado às arvores de cedro que circunda a aldeia. Esse povo possui uma maneira peculiar de encarar a vida e a relação com o ambiente, tendo a Terra um significado muito especial, pois é dela que provém todas as riquezas necessárias para a permanência cultural. O objetivo deste trabalho é identificar a perspectiva ambiental na Escola Indígena Gatén (espírito da mata) em face dos saberes etnobotânicos e da educação ambiental. Trata-se de um estudo empírico com abordagem qualitativa e de natureza exploratória, cujos procedimentos metodológicos consistem na revisão bibliográfica, levantamento documental, pesquisa realizada em parceria com os indígenas Kaingang por meio da história oral para entrevistas, elaboração de diários de campos e registros fotográficos. Restou evidenciado que na escola Gatén da Foxá a educação ambiental é transversal e constante, sendo desenvolvida em espaços tanto formais quanto informais de educação, sendo algo presente na própria concepção Kaingang no que se refere aos etnoconhecimentos envolvendo as relações entre homem e natureza. Ademais, a tradição oral é muito importante para esse povo, sendo perpassada de geração para geração, pelos anciãos, como forma de educar para a conquista da autonomia, revitalização da memória e complementariedade com a natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-16
Seção
Educação Ambiental