ESTUDO DE CASO: PARQUE ANTÔNIO MARMO CANEDO (MATINHA)

  • Letícia Guimarães Mendes Coelho
  • Lucas Gabriel Corrêa Vargas
Palavras-chave: Parque da Matinha, Anápolis, Córrego dos Cezários

Resumo

O tema introduzido neste presente artigo, faz parte das pesquisas elaboradas para o Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade Metropolitana de Anápolis, tem por ênfase o Projeto Urbano. Através de estudos analíticos, elenca parâmetros de qualidade do espaço, resumidos em seis itens principais: Acessibilidade, Brinquedos, Edificações, Mobiliário, Segurança e Vegetação. A escolha do Parque se deu por se tratar de um espaço com uso já consolidado. Inaugurado em 1973, já passou por inúmeras reformas ao longo dos anos sem perder seu caráter de parque urbano e atualmente seus frequentadores contemplam traços de um parque urbano genérico, com oferta de lazer ativo e contemplativo para adultos e crianças, por abrigar no local fauna, flora e importante nascente hídrica da micro bacia do Córrego dos Cesáreos. Contudo, o espaço físico, atendimento e serviço oferecidos no local, mobiliários, equipamentos e acessos, necessitam de manutenção e ações para a acessibilidade que promova sua utilização por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. A ideia de reconfigurar um espaço que outrora se denominou Parque da Criança, surge após resultado de análise da demanda de crianças com deficiência no município, da importância e benefício e para tanto, foram traçadas diretrizes que possibilitem equidade no lazer, ou seja, tornar o Parque Antônio Marmo Canedo, apto a receber todos os indivíduos em sua singularidade humana.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-13
Seção
Cidade Sustentável e Qualidade de Vida