DISPONIBILIDADE DE MACRONUTRIENTES EM LATOSSOLO APÓS O USO DE ADUBAÇÃO VERDE

  • Cláudia Fabiana Alves Rezende
  • Kamilla Menezes Gomides
  • Thiago Rodrigues Ramos Faria
  • Simone Janaina Silva Morais
  • Karla Cristina Silva
Palavras-chave: Adubo Verde; SPD; Sorgo; Crotalária

Resumo

 A adoção de sistemas de cultivo e de gestão que conservam e continuamente
introduzem matéria orgância no solo (M.O.) é fundamental para preservar as
características químicas, físicas e biológicas do solo (Calegari et al, 2006). As vantagens
esperadas do consórcio de espécies de plantas de cobertura, em relação ao cultivo
isolado, são: maior produção de matéria seca, acúmulo de nutrientes e proteção ao solo.
Assim o presente estudo se torna relevante, tanto para fundamentar pesquisas
direcionadas para as grandes culturas, como para a utilização de produtores rurais que
visam a agroecologia e a sustentabilidade do sistema agrícola. O presente trabalho teve
como objetivo avaliar a interferência do sorgo forrageiro (Sorghum bicolor) e da Crotalária
(Crotalaria ochroleuca G. Don) nas propriedades químicas do solo logo após a retirada
dos adubos verdes.
O experimento foi conduzido na área experimental do Centro Universitário de
Anápolis – UniEvangélica. O solo está classificado como Latossolo Vermelho Distrófico
(Embrapa, 2013), de textura média. A área experimental estava sob o sistema de plantio
direto há dois anos, com o plantio de milho na safra anterior. As espécies utilizadas como
adubos verdes foram: sorgo forrageiro (Sorghum bicolor L.) e a Crotalária (Crotalaria
ochroleuca G. Don). Cada tratamento foi constituído de um adubo verde: 1 - sorgo
solteiro; 2 - Crotalária solteira; 3 - sorgo + Crotalária (na entrelinha); 4 - testemunha (área
de pousio). O experimento foi constituído por um delineamento inteiramente casualizado
(DIC), com quatro tratamentos e cinco repetições. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Exposição de Painéis