AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE COLETORES PARA DESCARTE DE MEDICAMENTOS EM DROGARIAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS-GOIÁS

  • Erick de Oliveira Lemes
  • Daiana da Silva Vargem
  • Joel Rocha da Silva
Palavras-chave: Descarte; Medicamentos; População; Drogarias

Resumo

Ao adquirir medicamentos, geralmente a população não possui o conhecimento
adequado a respeito da maneira correta de se desfazer das sobras destes produtos.
Desta forma os medicamentos são descartados no lixo comum e esgotos sanitários,
sendo este último principal rota de entrada de resíduos de fármacos no meio ambiente
(TANAKA; IWAMOTO; PERSON, 2009). A solução deste problema passa por uma política
de educação ambiental, com campanhas desde a pré-escola com amplitude para a
população, elucidando a importância do descarte em locais adequados e o risco de não o
fazer (BORRELY et al., 2012). O presente estudo teve como objetivo quantificar e
classificar farmacologicamente os medicamentos descartados pela população na cidade
de Anápolis- Goiás, assim como identificar a forma como estes medicamentos são
descartados. A metodologia empregada foi a aplicação de questionários para verificação
da forma mais comum de descarte de medicamentos, e também a colocação de um
coletor de medicamentos no ambiente de uma drogaria da cidade de Anápolis-Goiás no
período de abril a maio de 2013. Após análise dos medicamentos coletados em um
período de 30 dias, foi obtida a quantidade de 584 g de medicamentos descartados, e as
classes farmacológicas predominantemente identificadas foram: antialérgicos,
expectorantes, analgésicos, e broncodilatadores, porém outras classes também foram
identificadas em menores quantidades. Foram aplicados mil questionários, observando-se
que 70% da população descarta seus medicamentos em lixo comum, 9% descarta no
vaso sanitário e 2% descarta na pia ou tanque.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Exposição de Painéis