RESÍDUOS SÓLIDOS INORGÂNICOS NO SETOR AGROSSILVOPASTORIL EM CERES, GOIÁS

  • Ana Paula Veloso de Assis Sousa
  • Josana de Castro Peixoto
  • Lucimar Pinheiro Rosseto
Palavras-chave: Resíduos Sólidos Inorgânicos; Agrossilvopastoril; Ceres

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo elaborar um diagnóstico da situação atual
dos resíduos sólidos inorgânicos (RSI) resultantes das atividades agrossilvopastoris em
Ceres/GO, com o intuito de conhecer e verificar a aplicação da legislação e as formas de
disposição quanto aos RSI. A pesquisa tem um caráter descritivo, com métodos de
pesquisa bibliográfica, documental e de campo, com abordagem quali-quantitativa e com
coleta de dados primários e secundários. Foram coletadas informações em bancos de
dados oficiais, empresas públicas e privadas, associações e entidades de classe, que
municiam o levantamento da destinação dada aos RSI. As informações foram analisadas
de forma crítica, com apoio na bibliografia referente à questão, incluindo esforços já
ministrados no Brasil, experiências estrangeiras que demonstram preocupação com os
resíduos sólidos advindos das atividades agrossilvopastoris. As experiências relatadas
podem auxiliar na busca de solução para os problemas encontrados quanto ao
gerenciamento dos RSI em Ceres/GO assim como em outras cidades do País. Os
principais RSI produzidos pelas atividades agrossilvopastoris em Ceres são os resultantes
do uso de agrotóxicos, fertilizantes e produtos farmacêuticos veterinários. A Lei
12.305/2010 que dispõe sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, classifica
agrotóxicos e produtos farmacêuticos veterinários como produtos perigosos, excluindo até
então os fertilizantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Ecologia de Ambientes Aquáticos e Resíduos Sólidos