LEVANTAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO PEQUI (Caryocar brasiliense Camb.) COMO AGENTE ANTIOXIDANTE NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

  • Erick de Oliveira Lemes
Palavras-chave: Caryocar Brasiliense Camb.; Doenças Neurodegenerativas; Cerrado; População

Resumo

O cerrado é um patrimônio de recursos naturais renováveis, com espécies
frutíferas, com características peculiares e intensa. Os seus frutos possuem potencial de
exploração internacional e nacional, o que desperta o interesse das indústrias, sejam
alimentícias, farmacêuticas ou de cosméticos em desenvolver inovações em seus
produtos utilizando como matéria prima o que está disponível no cerrado e também existe
o interesse crescente dos consumidores por produtos que são provenientes deste local
(MORZELLE et al., 2015). A população do centro-oeste em principal, consome
regularmente os frutos de espécies deste ecossistema, tanto na forma em natura como
após o processamento, que é o caso de sucos, sorvetes, pães, bolos entre outros. As
espécies de plantas do cerrado possuem aplicação tanto nas indústrias de alimentos
como também nas de medicamentos, por possuírem alto interesse biotecnológico
(OLIVEIRA; ROCHA, 2008). Os frutos do cerrado possuem um elevado potencial para ser
empregado na alimentação da população, levando em consideração os seus benefícios,
entretanto, para a utilização destes de forma correta, sem riscos para a saúde da
população é necessário estudo sobre as possibilidades de processamento e
aplicabilidade na indústria alimentícia, para que um número maior de indivíduos possa
usufruírem dos benefícios destes produtos (OLIVEIRA, 2011). O Caryocar brasiliense
Camb., conhecido popularmente pela população local pelo nome popular de pequi, possui
alto valor econômico e nutricional, conhecido por muitos como ouro do cerrado. Este fruto
é encontrado em todo o cerrado brasileiro, encontrado principalmente nos estados de
Goiás, Mato Grosso, Piauí, Pará, Minas Gerais, Tocantins e Maranhão (MOURA;
CHAVES; NAVES, 2013).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Biodiversidade do Cerrado