Projeto de recuperação de áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do Córrego do Embiri – Presidente Prudente, SP – Brasil

  • Elys Angélica Santana Couto
  • Antonio Cezar Leal
Palavras-chave: recuperação ecológica, Córrego do Embiri, bacia hidrográfica do Rio Santo Anastácio

Resumo

Esta pesquisa, que faz parte do Projeto Novas Fronteiras no Oeste (PROCAD – Edital nº071/2013), tem como objetivo contribuir para o planejamento ambiental da bacia hidrográfica do Rio Santo Anastácio, afluente do Rio Paraná na margem esquerda, pertencente à unidade de gerenciamento de recursos hídricos do Pontal do Paranapanema. Nesta bacia hidrográfica são evidentes vários problemas ambientais, destacando-se a aceleração da erosão dos solos, causada principalmente pelas atividades antrópicas, incluindo o desmatamento quase total da região e as insuficientes medidas de conservação dos solos, resultando no assoreamento de vários cursos d’água e na redução da disponibilidade hídrica, sendo esta responsável pelo abastecimento de água de aproximadamente 30% da população de Presidente Prudente. A área de estudo desta pesquisa localiza-se na bacia hidrográfica do Córrego do Embiri, pertencente ao manancial do Rio Santo Anastácio, situada no Parque Ecológico da Cidade da Criança, em Presidente Prudente. A pesquisa contempla a realização de levantamento bibliográfico; trabalhos de campo; mapeamento das áreas de preservação permanente (APP); levantamento dos conflitos e de degradações sofridas nas APP e a elaboração de proposta de projeto para a recuperação das áreas degradadas. A partir do diagnóstico realizado no Parque Ecológico da Cidade da Criança, foi possível observar a ausência de mata ciliar, que ocasionou processos erosivos, impactando diretamente a disponibilidade hídrica e a qualidade da água do Córrego do Embiri, influenciando diretamente o manancial do Rio Santo Anastácio. Os dados coletados foram analisados através de mapas, podendo-se identificar as principais áreas de recuperação de APP, e assim elaborar propostas de intervenção para a recuperação ecológica da região de estudo, contribuindo diretamente com a preservação do manancial do Rio Santo Anastácio.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-13
Seção
Exposição de Painéis