Cooperação global e mudanças climáticas: uma análise a partir da Teoria dos jogos.

  • Erika Mayumi Ogawa
  • Cristiane Gomes Barreto
Palavras-chave: Tragédia dos Comuns, Acordo de Paris, GAMBIT

Resumo

Essa pesquisa emerge do preocupante cenário das mudanças climáticas globais, cujas ferramentas de mitigação são traçadas em acordos e protocolos internacionais. O objetivo éanalisar as decisões e estratégias de grupos de países em relação às suas políticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas globais em diferentes cenários, a partir da abordagem da Teoria dos Jogos. Essa ferramenta permite estudar os desafios da ação coletiva e a estrutura subjacente das estratégias quanto às políticas de mudanças climáticas. A primeira etapa da pesquisa é o levantamento de dados como, normas do Acordo de Paris, valores do custo de mitigação e adaptação, em seguida será modelar o jogo, que contará com três jogadores. Em seguira, é feito o cálculo matemático e nessa etapa são identificados os payoffs de cada país para reduzir as emissões. As estratégias são analisadas nosoftware GAMBIT, cuja avaliação busca identificar se existem estratégias dominantes de cooperação, bem como, um ou mais equilíbrios de Nash entre países nos acordos internacionais sobre mudanças climáticas e avaliar as escolhas que possam incentivar a cooperação com benefícios nacionais e globais. Para tanto, foram selecionados, como jogadores, os Estados Unidos, China e Brasil. Os resultados poderão acenar potencialidades e deficiências no Acordo de Paris, evidenciando por exemplo, a necessidade de incentivos para a cooperação caso seja encontrado o equilíbrio de Nash, ou seja, um equilíbrio não-cooperativo.Considerando a retirada dos Estados Unidos do Acordo será possível avaliar o impacto disso nos benefícios esperados globalmente e, em especial, para os países analisados: Brasil e China.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-13
Seção
Exposição de Painéis