CARACTERIZAÇÃO DE ÁREAS DA ZONA DE AMORTECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DO RIO DOCE COM A UTILIZAÇÃO DE IMAGENS DO SATÉLITE LANDSAT 8 E DO PROGRAMA ERDAS

  • Rodrigo Ribeiro Pignaton
  • Márcia Aparecida Silva
  • Jairo Rodrigues Silva
Palavras-chave: ERDAS, Sensoriamento Remoto, Zona de Amortecimento

Resumo

A instituição das Unidades de Conservação no Brasil é resguardada por legislação específica com a finalidade de preservação do patrimônio da biodiversidade. A legislação prevê ainda uma zona de amortecimento para minimizar a influência dos impactos das no entorno da maioria dos Parques Nacionais. Entretanto, diversas zonas de amortecimento encontram-se descaracterizadas do seu objetivo primordial. O presente trabalho tem como objetivo a redefinição na zona de amortecimento do Parque Estadual do Rio Doce, localizada no Município de Timóteo-MG. A metodologia proposta foi  utilização do sensoriamento remoto e programa ERDAS (versão 2011) como ferramenta instrumental para reordenamento e compatibilização da zona de amortecimento local de maneira a atualizá-la, aumentando assim, o potencial biótico com a agregação de áreas ainda em bom estado de preservação com a proposta de permuta com áreas já intensamente descaracterizadas e degradadas. Conclui pela viabilidade ambiental dada a caracterização e possível compatibilização socioambiental de significativa parcela da zona de amortecimento do Parque Nacional do Rio Doce, no Município.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-13
Seção
Exposição de Painéis