Análise do Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Urbanos no Distrito Federal a partir do Zero Waste Index

  • Mikaela Soares Silva Cardoso
  • Elimar Pinheiro do Nascimento
  • Izabel Cristina Bruno Bacellar Zaneti
  • Francisco Javier Contreras Pineda

Resumo

O Distrito Federal não atende a duas das principais exigências da Política Nacional dos Resíduos Sólidos: o fechamento dos lixões e a disposição ambientalmente adequada dos resíduos. Após sete anos da homologação da Lei n. 12.305/2010 é necessário avaliar a gestão dos resíduos sólidos. O objetivo deste artigo foi analisar o gerenciamento dos resíduos sólidos no Distrito Federal a partir do Zero Waste Index durante o período de 2003 a 2013. O índice calcula a eficiência ambiental de cada tipo de manejo dos resíduos sólidos, fornecendo dados como a matéria-prima poupada, água e energia economizadas e a emissão de CO2 de acordo com o método de manejo utilizado. Por exemplo, a reciclagem dos resíduos sólidos resulta na economia de matéria-prima, de água e energia e reduz a emissão de CO2. Além de indicar o impacto ambiental ocasionado por cada tipo de manejo dos resíduos, o cálculo final do ZWI apresenta a eficiência do gerenciamento dos RSUs, variando de 0 a 1, onde 0 indica um gerenciamento totalmente ineficiente e 1 indica eficiência total.  Os dados sobre o gerenciamento dos RSUs no DF utilizados estão disponíveis no Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento (SNIS). O maior valor de ZWI encontrado no Distrito Federal foi no ano de 2003 e, ainda assim, bem próximo a zero (0,0056). Os valores estão muito abaixo dos valores obtidos por Zaman (2013) nas cidades por ele estudadas. Um valor baixo de Zero Waste Index indica que o gerenciamento dos RSUs no DF foi ambientalmente ineficaz no período estudado.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-13
Seção
Exposição de Painéis