ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DE COLETORES PARA DESCARTE DE MEDICAMENTOS NA CIDADE DE ANÁPOLIS- GOIÁS

  • Renata Awad
  • Erick de Oliveira Lemes
  • Daiana da Silva Vargem
  • Joel Rocha da Silva
Palavras-chave: Descarte de Medicamentos; Medicamentos; Coletores

Resumo

Atualmente a poluição e suas consequências ao meio ambiente é um assunto
muito discutido, devido às alterações ambientais que podem causar entre elas o
aquecimento global. Uma dessas preocupações recentes é a contaminação do meio
ambiente por medicamentos que tem seu descarte feito de forma errada e sem controle
por empresas e pela população (EICKHOFF; SEIXAS; HEINECK, 2009). A falta de
informação faz com que a população descarte os seus medicamentos no lixo comum ou
em vasos sanitários. O sistema de esgoto brasileiro não está preparado para fazer o
tratamento adequado de resíduos tóxicos provenientes de medicamentos, existem
algumas propostas quanto às tentativas de minimizar os resíduos: reciclagem, incineração
completa e aterros sanitários (LEMES et al., 2014). O presente estudo teve como objetivo
avaliar a quantidade, formas farmacêuticas e classes de medicamentos que são
descartados pela população do município de Anápolis - Goiás, juntamente a uma
pesquisa baseada em questionários. Foi introduzido coletores no ambiente de algumas
drogarias e farmácia da cidade de Anápolis-Goiás e aplicação de 198 questionários para
os clientes destes estabelecimentos para investigação sobre a forma de descarte de
medicamentos vencidos. Através da análise dos coletores foi possível observar que em
torno de 80 a 85% dos medicamentos recolhidos estavam vencidos, e os demais 15 a
20% ainda estavam dentro do prazo de validade e a classe terapêutica mais descartado
pela população foi de analgésicos e demais medicamentos de venda livre, de forma
sólida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Educação Ambiental