SAÚDE E MEIO AMBIENTE: OS CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DA CIDADE DE ANÁPOLIS

  • Ione Augusto da Silva Sales
  • Genilda D'Arc Bernardes

Resumo

O tema aborda o trabalhador que sobrevive da coleta de resíduos sólidos urbanos
na cidade de Anápolis-GO. O objeto de estudo centraliza-se nos catadores que aderiram
como local de trabalho as cooperativas de catadores de material reciclável do município,
Cooper Can e a Associação de Gestores da Coleta Seletiva de Anápolis (Cooperativa
Coopersolidos), fruto das ações planejadas do ministério público para garantir o
cumprimento da lei Nº12.305/2010. Será objetivo também a reinserção social e produtiva
das pessoas que exercem essa atividade após o fechamento do acesso ao aterro
sanitário municipal de Anápolis.
Os catadores constituem uma categoria legalizada pelas leis trabalhista, contudo
muitos trabalham na informalidade, não recebem salário (aposentadoria, férias e décimo
terceiro salário) e vivem precariamente com a renda obtida com os resíduos coletados.
Em sua maioria, apresenta problema de saúde derivado desta atividade (IPEA, 2013). É
bastante crítica a situação destas pessoas: expostas a mutilações, riscos de vida e a
doenças como: dermatofitoses, leptospirose, hepatite, tifo, tuberculose, toxoplasmose,
teníase e diversas parasitoses, muitas veiculadas através de vetores (moscas, baratas e
ratos). Não tem acesso a educação, restritos ao lazer, falta moradia digna, privados da
assistência a saúde, vivenciando a marginalidade, prostituição e pouca perspectiva de um
futuro digno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Cidade Sustentável e Qualidade de Vida