PLANEJAMENTO URBANO E GESTÃO AMBIENTAL: UMA REFLEXÃO SOBRE O CRESCIMENTO DESORDENADO DA CIDADE DE CALDAS NOVAS

  • Isabella Regina Serra Brito Mesquita
  • Cícero Antônio Mesquita da Silva Brito
  • Veronica Cristina Silva Oliveira
  • Alik Timóteo de Sousa
  • Eva Caroline Nunes Rezende
  • Thiago Alexandre de Oliveira Leite

Resumo

Resumo: Qualidade de vida não se dissocia de qualidade de água. Este artigo
objetiva induzir uma reflexão acerca do povoamento desordenado e descontrolado em
áreas de nascentes e afluentes. Com o não tão recente, porém acelerado fenômeno da
urbanização, há uma premente preocupação a nível mundial com a utilização responsável
dos recursos hídricos. O estudo de caso baseia-se na cidade de Caldas Novas, cujo
crescimento demográfico deu-se de maneira surpreendente, porém deficiente em
planejamento e organização. Este município rico em recursos hídricos possui um
considerável número de nascentes em suas áreas urbanas, as quais estão sendo
degradadas. Embora os efeitos dessa degradação ainda não sejam sentidos tão
acentuadamente, não devem de forma alguma ser desconsiderados, pois o uso
continuado e inconsciente destes valiosos recursos levará à deterioração da qualidade da
água e comprometerá a saúde da população. Assim sendo torna-se imprescindível a
adoção de medidas imediatas visando à preservação destes recursos vitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Cidade Sustentável e Qualidade de Vida