OCUPAÇÃO HUMANA E CONSERVAÇÃO DA NATUREZA NA ILHA DO BANANAL: A HISTÓRIA DO PARQUE NACIONAL DO ARAGUAIA

  • Márcia Helena Lopes
Palavras-chave: Conservação; Fronteira de Ocupação; Conflito

Resumo

A pesquisa “Ocupação humana e conservação da natureza na ilha do Bananal: a
história do Parque Nacional do Araguaia” investiga os processos históricos da
transformação do território, envolvendo mudanças sociais e ambientais, a partir do estudo
da dinâmica da fronteira de ocupação na região da ilha do Bananal. Busca-se entender as
conexões entre a formação histórica do território, as transformações no ambiente biofísico
e social e os conflitos acerca das ações para o desenvolvimento e para a conservação da
biodiversidade do parque nacional do Araguaia. Os parque nacionais são entidades
territoriais moldadas por seu passado. Eles possuem uma dimensão humana relacionada
ao uso da terra e dos recursos naturais. Considerar a história social, em conjunção com a
história natural dos parques nacionais, pode contribuir para a compreensão de situações
históricas de conflito envolvendo humanos e as suas relações com essas áreas. Estão
previstas três etapas de desenvolvimento da pesquisa. Na primeira etapa será realizada a
pesquisa bibliográfica e documental sobre o tema em bibliotecas e arquivos públicos e
particulares. Na segunda serão realizadas duas viagens ao campo – a primeira para
reconhecimento do campo, levantamento documental e entrevistas preliminares; a
segunda para a realização das entrevistas complementares. Na terceira etapa serão
analisados e interpretados os dados – triangulando pesquisa bibliográfica, documental e
entrevistas – de forma a construir uma narrativa histórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-08-20
Seção
Cidade Sustentável e Qualidade de Vida