PERFIL DE DEPOSIÇÃO E VAZÃO DE PONTAS DE PULVERIZAÇÃO TTI11003 SOB DIFERENTES NÍVEIS DE DESGASTE

  • Daniel Ferreira Caixeta FACEG
  • Rafael Luis Ottoni Peixoto
Palavras-chave: tecnologia de aplicação, qualidade de aplicação, pontas hidráulicas, pulverizador

Resumo

A aplicação de defensivos figura como uma das grandes responsáveis pelo crescimento da produtividade agrícola, e a qualidade da aplicação é determinante para o sucesso da cultura. Vários fatores influenciam nessa qualidade, e entre eles, destacam-se as pontas de pulverização, pois elas determinam a vazão e a distribuição da calda na área. Ao serem usadas por muitas horas, as pontas sofrem desgaste, aumentando a vazão da calda, o que causa impactos diretos nos custos de produção. Diante dessa questão, o trabalho teve como objetivo avaliar a influência do desgaste no perfil de deposição e vazão de pontas de pulverização. Foram avaliadas pontas TTI 11003 em quatro estados de conservação (novas, e com 400, 600 e 800 horas de uso). O experimento foi conduzido em ambiente fechado, e as pontas foram testadas em mesa de distribuição com 20 canaletas de 5 cm de largura. A pressão de pulverização empregada nos testes foi de 3 BAR. As pontas foram avaliadas individualmente, em dez repetições para cada nível de desgaste, e em conjunto, utilizando-se três pontas de cada estado de conservação, em três repetições. Os dados de vazão dos testes individuais e da aplicação simulada foram submetidos à análise de variância utilizando o procedimento GLM, seguido do teste de Dunnett para comparar cada nível de desgaste com as pontas novas. Nos testes individuais, o perfil de distribuição foi semelhante em todos os níveis de desgaste avaliados, e a vazão não apresentou diferenças significativas. O coeficiente de variação (CV%) de todas as pontas desgastadas foi maior que 7%, e as pontas com 800 horas de uso apresentaram o maior coeficiente. As pontas com 800 horas de uso obtiveram os piores resultados de uniformidade do perfil de deposição, e a vazão média da aplicação simulada foi maior nas pontas com 400 e 800 horas de uso.

Publicado
2019-05-13