MILHETO NA REDUÇÃO DA POPULAÇÃO DO NEMATOIDE Pratylenchus brachyurus NA CULTURA DO MILHO

  • Felipe Augusto Pacheco Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Victor Alves Ribeiro
  • Cássia Rodrigues Sodré
  • Anderli Divina Ferreira Rios
  • Denise Rodrigues Conceição
  • Iara Alves Gonçalvez
  • Rosane de Jesus Silva
Palavras-chave: Palavras-chave: Pratylenchus brachyurus, Pennisetum glaucum, Zea mays.

Resumo

Resumo: Devido ao aumento da infestação de Pratylenchus brachyurus em áreas que utilizam o milho em sistema de rotação de culturas, surge a necessidade da identificação de tratamentos alternativos ao químico que reduzam a população desse patógeno. Objetivou-se com o estudo testar o uso de milheto na redução do nematoide P. brachyurus para a cultura do milho em condições semicontroladas de casa de vegetação. Para isso um solo naturalmente infestado foi obtido em uma propriedade comercial de soja no município de Goianésia. A instalação do experimento ocorreu no dia 16 de junho de 2018, as parcelas foram constituídas de vasos plásticos com capacidade para 3 L preenchidos com substrato composto por uma mistura de solo e areia. Foram semeadas 20 sementes de milheto em cada vaso, sendo feito o desbaste oito dias após a semeadura deixando-se 10 plantas por vaso. As plantas de milheto cultivares ADR 300 E BRS 1501 foram mantidas por dois manejos diferentes: Manejo l (as plantas permaneceram vivas nos vasos por 20 dias) e Manejo ll (as plantas permaneceram vivas nos vasos por 35 dias) a testemunha foi mantida por 50 dias. Ao final de cada período, as plantas foram cortadas rente ao solo, a parte aérea incorporada, e em seguida semeado a cultivar de milho AG 1051. Como testemunha foi utilizada a mesma variedade de milho, mas sem o cultivo do milheto. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com cinco repetições, em esquema fatorial 2x2+1(dois genótipos de milheto x dois manejos com as plantas de milheto e o milho sem uso de milheto). A extração e análise de nematoides nas raízes de milho foi realizada aos 30 dias após a emergência (DAE). Os resultados obtidos mostram que as variedades de milheto utilizados no estudo não reduziram a infestação natural de P. brachyurus no solo até os 35 dias de manejo. Mas a incorporação de milheto no solo pode melhorar caracteres agronômicos como peso fresco da parte aérea e altura de plantas na cultura do milho.

Publicado
2019-05-13