COMPOSIÇÃO BROMATOLOGICA DE FORRAGEIRAS DO GÊNERO PANICUM E BRACHIARIA

  • Dyb Youssef Bittar Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Nedio Ferreira Batista FIlho
Palavras-chave: forragem, qualidade da pastagem, composição química

Resumo

A qualidade de uma planta forrageira depende de seus constituintes químicos e esses são variáveis, dentro de uma mesma espécie, de acordo com a idade e parte da planta, condições climáticas, fertilidade, entre outros. O trabalho tem como objetivo avaliar as características bromatológicas de cultivares do gênero Panicum e Brachiaria, a fim de identificar qual possuí o melhor nível nutricional na região de Goianésia. O projeto foi realizado em uma área experimental já implantada, sendo o delineamento experimental em blocos casualizados, com três cultivares de Panicum (quênia, tamani e zuri), e dois cultivares de brachiaria (piatã e ypyporã) e quatro repetições. As variaveis analisadas foram proteina bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra bruta (FB), materia mineral (MM), calcio (Ca), fósforo (P), NDt in natura (NDTIN), NDT na materia seca (NDTMS) e materia seca (MS), da parte aérea e dos perfilhos. Na avaliação da parte aérea o cultivar quênia possui maior teor de PB, no extrato etéreo o cv. piatã foi superior aos demais cultivares. Na avaliação da matéria mineral os cultivares quênia, tamani, zuri e piatã foram superiores ao ypiporã. Na avaliação da fibra bruta os cultivares Quênia e zuri apresentaram maiores porcentagens que os demais cultivares, já o piatã apresentou menor teor em NDTIN e NDTMS, e a cv. quênia apresentou o melhor resultado para MS. Na avaliação do perfilho o cv. zuri se mostrou mais eficiente quanto ao percentual de  proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra bruta (FB) e fosforo (P) em relação ao NDTIN e MS foram maiores na cv. Ypiporã.  Os cultivares de Panicum mostraram-se superior na analise bromatológica.

Referências

ABIEC. Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne. Perfil da Pecuária no Brasil – Relatório Anual 2016. Disponível em
http://abiec.siteoficial.ws/images/upload/sumario-pt-010217.pdf
ABREU, J.B.R. et al. 2004. Avaliação da produção de matéria seca, relação folha/ colmo e composição químico-bromatológica de Brachiaria humidicola (Rendle), submetida à diferentes idades de rebrota e doses de nitrogênio e potássio. Revista Universidade Rural: Série Ciências da Vida, Seropédica, RJ: EDUR, 24 (1):135-141.
ALVES, E. S. G. PRODUTIVIDADE, COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA E DINÂMICA DO PERFILHAMENTO DA BRACHIARIA HÍBRIDA CONVERT HD364 SOB ALTURAS DE CORTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA. Goiânia, GO. 2016
CECATO, U. et al. Avaliação da Produção e de Algumas Características da Rebrota de Cultivares e Acessos de Panicum maximum Jacq. sob duas Alturas de Corte1. Rev. bras. zootec. v 29, n 3, p:660-668, 2000.
COESER, A. C. Capineira: manejo correto in: pasta do produtor de leite. EMBRAPA gado de corte e leite, Juiz de Fora, MG, novembro de 2000.
EUCLIDES, V.P.B.; MACEDO, M.C.M.; OLIVEIRA, M.P. Avaliação de diferentes métodos de amostragem para se estimar o valor nutritivo de forragens sob pastejo. Revista Brasileira de Zootecnia, v.21, n.4, p.691-701, 1992.
FERRAZ, J. B. S .; FELÍCIO, P. E. D. Sistemas de produção - um exemplo do Brasil. Carne Science, v. 84, n. 2, p. 238-243, 2010.
FILHO, M. B. D. Diagnóstico das Pastagens no Brasil. Embrapa Amazônia Oriental Belém, PA. 2014
GUIMARÃES, T. P. Conceitos e exigências de energia para bovinos de corte. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL. Goiânia, 2011.
CONCEITOS E EXIGÊNCIAS DE ENERGIA PARA BOVINOS DE CORTE
IDADES DE REBROTAÇÃO. Monografia de conclusão de curso, universidade federal do Maranhão, 2016.
IDO, O.T. Efeito de diferentes ofertas de forragem sobre a produção e a qualidade de uma pasto de azevém (Lolium multiflorum Lam) associada com leguminosas de inverno, na Região Sul do Paraná. Curitiba, PR: UFPR, 1997. 81p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, 1997
INSTITUTO NACIONAL DE METEREOLOGIA – INMET. Mapas do Boletim Agroclimatológico. Disponível em: . Acesso em 13 mar. 2018.
JANK, L. et al. O capim-BRS Quênia (Panicum maximum Jacq.) na diversificação e intensificação das pastagens. ISSN 1983-9731 Brasília, DF, fevereiro de 2017.
JUNIOR, N. G. R. ARIANO, A. P. R. SANTOS, M. A. GERVAZIO, W. SILVA, I. V. S. Biodiversidade e Agroecossistemas Amazônicos. Faculdade de Ciências Biológicas e Agrárias da Universidade do Estado de Mato Grosso, caixa postal 324, Alta Floresta, Brasil, – Publicado em: 01/07/2014

PEDRIERA, C. G. S. MELLO, A. C. L. OTANI, L. O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE FORRAGEM EM PASTAGENS
ROCHA, F. Produção e nutrição do Panicum maximum BRS Zuri submetido a tipos de ureia. Cuiabá, 2016.
SANTOS, E. et al. Avaliação de Pastagem Diferida de Brachiaria decumbens Stapf: Características Químico-Bromatológicas da Forragem Durante a Seca1. R. Bras. Zootec., v.33, n.1, p.203-213, 2004.
SILVA, J. L. et al. Massa de forragem e características estruturais e bromatológicas de cultivares de Brachiaria e Panicum. Cienc. anim. bras., Goiânia, v.17, n.3, p. 342-348 jul./set. 2016
TESK, C. R. M. et al. Valor nutritivo dos capins Quênia e Tamani sob diferentes intensidades de desfolhação. IV SIMPÓSIO MATOGROSSENSE DE BOVINOCULTURA DE CORTE Universidade Federal de Mato Grosso Cuiabá/MT, agosto de 2017.
Publicado
2019-05-13