INTEGRAÇÃO ENTRE A ENDODONTIA E A PERIODONTIA NA RESOLUÇÃO DE CASOS COMPLEXOS

  • Luiza Santos Cardoso
  • Naira Geovana Camilo
  • Victória de Andrade Dallara Sato
  • Alexandre Leite Carvalho
  • Orlando Aguirre Guedes
  • Helder Fernandes de Oliveira

Resumo

 

INTEGRAÇÃO ENTRE A ENDODONTIA E A PERIODONTIA NA RESOLUÇÃO DE CASOS COMPLEXOS

 

 

 

 

Luiza Santos Cardoso1*

Naira Geovana Camilo1

Victória de Andrade Dallara Sato1

Alexandre Leite Carvalho2

Orlando Aguirre Guedes3

Helder Fernandes de Oliveira3

 

 

 

  1. Acadêmica do Curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA – Anápolis – GO - BR.
  2. Professor dos cursos de especialização em Periodontia e Implantodontia da ABO/Goiás - Goiânia – GO - BR
  3. Professor do curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA – Anápolis – GO - BR.

 

 

Correspondente: Luiza Santos Cardoso

Av. Universitária - Cidade Universitária, Anápolis - GO, 75075-010

Tel: +55062985953602

E-mail: luiza_santos9@hotmail.com

 

RESUMO

O propósito do estudo foi descrever a cirurgia parendodôntica como opção diante de um fracasso endodôntico, enfatizando a inter-relação Endodontia e Periodontia no manejo clínico cirúrgico. Paciente de 53 anos, gênero feminino apresentou-se com queixa de desconforto na região do 11 e 21. Ao exame físico intrabucal verificou-se a presença de fístula e ausência de mobilidade dos mesmos. Os exames por imagem evidenciaram a presença de dois retentores metálicos e rarefação óssea periapical associada ao 21 e ausência de tratamento endodôntico prévio em ambos. Chegou-se ao diagnóstico de abscesso periapical com fístula. Diante da dificuldade de remoção e possível risco de fratura da raiz dos elementos 11 e 21, a cirurgia parendodôntica foi indicada como alternativa para controle da infecção endodôntica. Realizou-se a incisão e descolamento de forma minimamente invasiva evitando possíveis áreas de recessão gengival. Os procedimentos endodônticos incluíram a curetagem da lesão, exposição e apicectomia da raiz, e o preparo de uma retro-cavidade com posterior retro-obturação, por meio do material retro-obturador MTA branco. Um enxerto de conjuntivo foi realizado utilizando o palato como área doadora. Concluiu-se que a estratégia cirúrgica aliando essas duas especialidades representa quando bem indicado, uma alternativa favorável e viável diante dos fracassos endodônticos por causa microbiana.

Palavra-Chave: Endodontia, Periodontia, Cirurgia bucal.

INTRODUÇÃO

A integração entre as especialidades odontológicas minimiza as limitações profissionais e agrega conhecimentos diversificados, resultando no sucesso da reabilitação oral e na resolução de casos complexos1.

As infecções endodônticas, na maioria das vezes, representam um planejamento desafiador e que exigem a capacitação profissional. O objetivo do tratamento endodôntico frente às infecções periapicais é promover a sanificação dos canais radiculares, de modo que estimule o reparo dos tecidos após a agressão2.

No entanto, o tratamento convencional está susceptível a falhas. Caso elas ocorram, podemos lançar mão do recurso do retratamento endodôntico. Se ainda sim persistirem as características do insucesso, a cirurgia parendodôntica representa uma alternativa eficaz2,3.

            A cirurgia parendodôntica é constituída por procedimentos que visam combater complicações provenientes do insucesso do tratamento convencional dos canais radiculares4. Está indicada após todas tentativas de realização dos recursos endodônticos convencionais. Outras indicações estão relacionadas a periodontite apical associada a canal obstruído; risco de fratura da estrutura dental; doença persistente após tratamento endodôntico, quando retratamento é inapropriado; correção de erros iatrogênicos não passíveis de abordagem endodôntica convencional; remoção de material de preenchimento radicular extravasado ou de um instrumento fraturado2,3,5.

A técnica cirúrgica envolve a confecção de retalho tecidual na região que necessita do acesso. Desse modo, não é incomum a ocorrência de recessões gengivais no pós-cirúrgico de pacientes que possuam biótipo periodontal desfavorável2. Para minimizar este fato, a técnica pode ser associada ao enxerto subepitelial de tecido conjuntivo6.

OBJETIVOS OU PROPOSIÇÃO

O propósito do estudo foi descrever a cirurgia parendodôntica como opção diante de um fracasso endodôntico, enfatizando a inter-relação Endodontia e Periodontia no manejo clínico cirúrgico.

DESENVOLVIMENTO

Paciente 53 anos, gênero feminino apresentou-se com queixa de desconforto na região do 11 e 21. Ao exame físico intrabucal verificou-se a presença de fístula e ausência de mobilidade dos mesmos.

Os exames por imagem (radiografia periapical e tomografia computadorizada de feixe cônico - TCFC) evidenciaram a presença de dois retentores intrarradiculares metálicos associados a coroas cerâmicas nos elementos 11 e 21; ausência de tratamento endodôntico prévio em ambos; e rarefação óssea periapical oriunda do elemento 21. Chegou-se ao diagnóstico de abscesso periapical com fístula.

Além da dificuldade de remoção e possível risco de fratura da raiz dos elementos 11 e 21, a paciente se recusou à remoção das coroas para realização do tratamento endodôntico convencional. Diante disso, a cirurgia parendodôntica foi indicada como alternativa para controle da infecção endodôntica.

Realizou-se a incisão e descolamento de forma minimamente invasiva evitando possíveis áreas de recessão gengival. Os procedimentos endodônticos incluíram a curetagem da lesão, exposição e apicectomia da raiz, e o preparo de uma retro-cavidade com posterior retro-obturação, por meio do material retro-obturador MTA branco. Um enxerto de conjuntivo foi realizado utilizando o palato como área doadora.

Após 6 meses da intervenção, foram realizados novos exames radiográficos que constaram o reparo dos tecidos periapicais, indicando o sucesso da técnica. A paciente encontra-se em proservação.

CONSIDERAÇÕES FINAIS/ CONCLUSÕES

Frente aos desafios do caso apresentado, a cirurgia parendodôntica foi realizada com o escopo de reduzir a carga microbiana presente no canal radicular e promover a manutenção do tratamento reabilitador realizado anteriormente. Concluiu-se que a estratégia cirúrgica aliando a periodontia e a endodontia representa, quando bem indicada, uma alternativa favorável e viável diante dos fracassos endodônticos por causa microbiana.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. Miranda R, Rizza G, Bettero F, Simamoto Júnior P, Novais V. Tratamento Odontológico Integrado Com Ênfase Em Estética: Relato De Caso. Rev Odontol Bras Central. 2016;25(74): 162-169.
  2. Chong B, Rhodes J. Endodontic Surgery. British Dental Jornal. 2014;216(6): 281-290.
  3. Estrela C. Endodontic Science. Second Edition. Editora Artes Médicas, 2009. Cap. 25: Endodontic Surgery.
  4. Bernabé P, Holland R, Morandi R, Souza V, Nery M, Otoboni Filho J, Dezan Junior E, Gomes-Filho J. Comparative Study Of Mta And Other Materials In Retrofilling Of Pulpless Dogs' Teeth. Braz Dent J. May/Aug 2005;16(2):149-55.    
  5. Estrela C. Ciência Endodôntica. 2. Ed. Editora Artes Médicas, 2004. Cap. 16: Cirurgia Parendodôntica: Como Praticá-La Com Embasamento Científico.
  6. Landim F, Andrade K, Freitas G, Xavier J, Santos S, Alves R. Enxerto Subepitelial De Tecido Conjuntivo Para Recobrimento Radicular. Rev. Cir. Traumatol Buco-Maxilo-Fac. 2009;9(4): 31-38.

 

Publicado
2019-06-09
Edição
Seção
Resumo