FECHAMENTO DE DIASTEMA COM FACETAS CERÂMICAS EM FLUXO DIGITAL: RELATO DE CASO

  • Joyce Borges Cardoso
  • Hianne Miranda de Torres
  • Murillo Martins Leite
  • Paulo Victor Costa
  • Érica Miranda de Torres

Resumo

Título: FECHAMENTO DE DIASTEMA COM FACETAS CERÂMICAS EM FLUXO DIGITAL: RELATO DE CASO

Apresentador: Joyce Borges Cardoso

 

Co-autores: Hianne Miranda de Torres, Murillo Martins Leite, Paulo Victor Costa, Érica Miranda de Torres

 

Orientador: Hianne Miranda de Torres

 

Palavras-chave: Diastema; Facetas Dentárias; CAD-CAM; Cerâmica; Sorriso; Estética Dentária.

Resumo

Diastemas podem ser restaurados de forma direta ou indireta. Facetas cerâmicas são uma alternativa que oferecem excelente resultado estético, porém exigem preparos. O objetivo do presente trabalho é relatar um caso de fechamento de diastemas com facetas cerâmicas em fluxo digital. Paciente procurou os cursos Personnalité ABO Goiás, com queixa de diastema entre os dentes 11 e 21. Explicadas as opções de tratamento, optou por facetas cerâmicas em fluxo digital. Foi realizado escaneamento intra-oral (Trios, 3Shape). O projeto CAD dos dentes 11 e 21 foi executado no software ExoCad (Smart Dent), baseado em um planejamento digital em PowerPoint. Foi realizada impressão 3D (Cares P Series, Straumann) e sobre o modelo confeccionou-se muralha de silicona de condensação pesada (Zetalabor, Zhermack) e leve (Oranwash, Zhermack) para mock up em resina bisacrílica (Protemp 4, 3MESPE). Os preparos dentários foram mínimos, porém suficientes para definir término e eixo de inserção. Os preparos foram escaneados com técnica do duplo fio (Ultrapack 000 e 0, UltraDent). O CAD foi adaptado sobre os preparos escaneados. As facetas foram fresadas em cerâmica de dissilicato de lítio (E.maxCad, IvoclarVivadent) e cimentadas com cimento resinoso (Variolink Esthetic LC, IvoclarVivadent).  A paciente relatou estar plenamente satisfeita após 6 meses de proservação. Conclui-se que o fechamento de diastemas com facetas cerâmicas em fluxo digital é viável, com alta precisão e excelente estética.

 

Introdução

Durante o desenvolvimento dentário é possível que ocorram anomalias quanto à forma, tamanho e cor dos dentes. Uma dessas alterações é o diastema, que consiste na ausência de contato entre dois ou mais dentes adjacentes. Quando ocorre em região anterior pode provocar desconforto em relação à estética do sorriso, a qual está diretamente relacionada com a aceitação social e auto-estima do indivíduo. Nesses casos, o paciente procura atendimento em busca de uma melhor anatomia ou posição dos dentes, querendo um sorriso mais natural e harmônico. (CABRAL, 2016; ANDREIUOLO, 2011)

Uma grande variedade de tratamentos está disponível para a remoção dos espaços indesejados e uma alternativa reabilitadora tecnológica que vem se destacando é a instalação de facetas de cerâmica produzidas em fluxo digital. Com uso da tecnologia CAD/CAM, o escaneamento da boca do paciente é realizado e enviado para um computador, onde é feito o desenho das facetas e, após aprovação do cirurgião-dentista e do paciente, é enviado o comando para que a máquina realize a fresagem das facetas para posterior instalação e cimentação. O procedimento é relativamente rápido e assim proporciona agilidade ao tratamento. A técnica tem elevada taxa de sucesso devido à qualidade, biocompatibilidade, durabilidade, resistência, estética e satisfação dos pacientes com as facetas cerâmicas. (CABRAL, 2016; CAMARADELLA, 2015; GONZALEZ, 2012)

 

Objetivo


            O objetivo do presente trabalho é relatar um caso de fechamento de diastema com facetas cerâmicas em fluxo digital.

 

Desenvolvimento


             Paciente do gênero feminino procurou os cursos Personnalité ABO-Goiás, com queixa principal de incômodo com o “espaço entre os dentes da frente”. Após anamnese, foi constatado no exame clínico a presença de diastema entre os elementos 11 e 21 (figura 1). Optou-se, como plano de tratamento, pelo fechamento do diastema através de facetas cerâmicas em fluxo fully digital.

            Inicialmente, foi realizado um protocolo fotográfico seguido do planejamento digital das dimensões dos centrais com auxilio do Power Point (figura 2). Após profilaxia com pedra pomes e água, foi realizado o escaneamento intra-oral das arcadas superior, inferior e oclusão da paciente, com o escaner intra-oral Trios (3Shape). O projeto CAD dos dentes 11 e 21 foi executado no software ExoCad (Smart Dent), baseado no planejamento digital realizado, culminando na impressão de um modelo 3D pela impressora Cares P Series, Straumann (figura 3). 

Sobre este modelo confeccionou-se muralha de silicona de condensação pesada (Zetalabor, Zhermack) e leve (Oranwash, Zhermack) para obtenção do mock up em resina bisacrílica cor A1 (Protemp 4, 3MESPE) (figura 4).

 Uma vez aprovado o mock up, os preparos dentários foram realizados para definição de término em chanfro raso, eixo de inserção e espaço mínimo de 0,3mm para o material restaurador. Foi então obtido o escaneamento intra-oral dos dentes preparados (figura 5), utilizando duplo fio afastador (Ultrapack 000 e 0, UltraDent). O segundo fio (0) foi removido para escaneamento dos términos enquanto o primeiro fio (000) permaneceu em posição durante o escaneamento para garantir afastamento gengival e cópia dos términos dos preparos. O projeto CAD foi transferido para o modelo escaneado, utilizando o software ExoCad, e seguiu-se com o refinamento do projeto para definição de adaptação marginal, contatos proximais e oclusais. Foi realizada a seleção de cor com escala digital do Trios e manual (Linear Guide, Vita), optando-se pela cor final 1M1, para melhor mimetizar os dentes naturais da paciente (figura 6). 

 As facetas foram fresadas em cerâmica de dissilicato de lítio (E.maxCad, IvoclarVivadent), sendo refinadas e maquiadas manualmente (Figura 7) com o auxilio de um modelo impresso troquelizado (Figura 8).

 Foi realizada uma prova a seco das cerâmicas, na qual observou-se excelente adaptação. Em seguida, foi realizada a prova de cor com pasta Try-in cor Neutral (Variolink Esthetic LC, IvoclarVivadent), e o cimento resinoso de cor equivalente foi então utilizado para cimentação final das facetas. A paciente relatou estar plenamente satisfeita com o resultado final (Figura 9). O tratamento possui 6 meses de proservação.

 Conclusão


             Conclui-se que o fechamento de diastemas com facetas cerâmicas em fluxo digital é viável, com alta precisão e excelente estética.

 

Referências Bibliográficas

CABRAL, L.; et al. Fechamento de diastema em incisivos laterais conóides: Relato de Caso. Revista Gestão & Saúde, v. 14, n. 2, p. 28 – 32. 2016.

ANDREIUOLO, R.; et al. Fechamento de diastema com coroas de alumina densamente sinterizadas. Revista Brasileira de Odontologia, Rio de Janeiro, v. 68, n. 1, p. 81-4, jan./jun. 2011.

CAMARADELLA L. T.; et al. A utilização do fluxo de trabalho digital no tratamento ortodôntico e orto-cirúrgico. Orthodontic Science and Practice, v. 8, n. 31, p. 305-314. 2015.

GONZALEZ, M. R.; et al. Falhas em restaurações com facetas laminadas: uma revisão de literatura de 20 anos. Revista Brasileira de Odontologia, Rio de Janeiro, v. 69, n. 1, p. 43-8, jan./jun. 2012.

Publicado
2019-06-09
Edição
Seção
Resumo