EXTRUSÃO ORTODÔNTICA PARA OTIMIZAR A REABILITAÇÃO COM PRÓTESE FIXA UNITÁRIA.

  • ANDRESSA BARCELOS AIRES BARROS
  • RUBERVAL FERREIRA DE MORAIS JÚNIOR
  • LUIZ CARLOS COURA
  • SILVIO SANTANA DE OLIVEIRA

Resumo

EXTRUSÃO ORTODÔNTICA PARA OTIMIZAR A REABILITAÇÃO COM PRÓTESE FIXA UNITÁRIA.

ANDRESSA BARCELOS AIRES BARROS, MESTRE RUBERVAL FERREIRA DE MORAIS JÚNIOR, MESTRE LUIZ CARLOS COURA, ESP. SILVIO SANTANA DE OLIVEIRA.

A extrusão ortodôntica é um recurso importante para reabilitação de dentes com comprometimento por fratura ou cárie subgengival. Essa mecânica ortodôntica tem a capacidade de tracionar a raiz do elemento dentário e consequentemente o periodonto acompanhará a movimentação. O presente trabalho relata um caso clínico de um paciente do gênero masculino de 59 anos que chegou na clínica odontológica com perfuração mesial com 3mm subgengival. Foi realizado tratamento endodôntico, moldagem do conduto para a elaboração do núcleo metálico, cimentação provisória e coroa provisória. Em seguida, foi instalado aparelho fixo e iniciou-se o tratamento de extrusão ortodôntica no elemento dentário 24 que seguiu por 4 meses, em diante realizou-se a gengivoplastia para preservar o espaço biológico. Essa técnica fornece inegáveis benefícios para o paciente devido a sua preservação do espaço biológico, baixa incidência de recidiva, melhor prognóstico e bom resultado estético. Evidenciando a importância de tratamentos interdisciplinares.

Palavras-chave: Extrusão; Ortodontia; Reabilitação.

Introdução

            A extrusão ortodôntica constitui um procedimento de grande importância no tratamento das invasões dos espaços biológicos, dentes com comprometimento por fratura ou cárie subgengival. Essa mecânica ortodôntica tem a capacidade de tracionar a raiz do elemento dentário e consequentemente o periodonto acompanhará a movimentação. O tracionamento ortodôntico é um método eficiente para restabelecer o espaço biológico devolvendo condições para que se possa realizar os procedimentos restauradores ou protéticos para restabelecer a oclusão.

Objetivo

            O propósito desse trabalho foi apresentar o caso clínico de um paciente do gênero masculino de 59 anos que chegou na clínica odontológica com perfuração mesial com 3mm subgengival e que foi submetido ao tratamento ortodôntico para a extrusão do elemento 24 com o intuito de proporcionar um melhor tratamento estético e funcional para o paciente.

Desenvolvimento

            Existem dois tipos de tracionamento que classifica a extrusão de forma rápida ou lenta. Quando é realizado de forma lenta quer dizer que ocorrerá a formação do tecido periodontal e quando é realizado de forma rápida o tecido não irá acompanhar o processo de extrusão.

            Segundo Novaes, “O espaço biológico pode ser definido como a distância entre margem da gengival marginal normal ao topo da crista óssea alveolar. Existe uma correlação na medida do espaço biológico e pode-se considerar a distância de 3 a 4 mm”.

            Quando o periodonto acompanha esse processo de extrusão torna-se necessário a realização do aumento de coroa clínica para que não ocorra a invasão do espaço biológico. Após feita a cirurgia periodontal para o correto contorno gengival já se torna possível a confecção da prótese fixa unitária que assim tornou-se viável a reabilitação estética e funcional do paciente através da utilização da ortodontia juntamente com a periodontia para o sucesso da prótese em questão.

 

Considerações Finais

            Essa técnica fornece inegáveis benefícios para o paciente devido a sua preservação do espaço biológico, baixa incidência de recidiva, melhor prognóstico e bom resultado estético. Evidenciando a importância de tratamentos interdisciplinares.

Referências

  • NOVAES, A. B; JUNIOR, A. B. N. Cirurgia periodontal com finalidade protética. São Paulo: Artes Médicas, 1999. p.07.
  • ESTANISLAU, IMG; ARAUJO, VMA; CASTELO, KMS; CHAVES, CM. Extrusão ortodôntica para auxiliar reabilitações restauradores e pré implantes. Revista OrtodontiaSPO, 2017. 
  • JANSON, M. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial vol.14 no.4 Maringá July/Aug. 2009.
  • CARRANZA, FA; TAKEI, HH; KLOKKEVOLD, PR, et al. Periodontia clínica , 9 o ed., Ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.

 

 

Publicado
2019-06-09
Edição
Seção
Resumo