BIFOSFONATOS X OSTEONECROSE: RELATO DE CASO CLÍNICO

  • Nauanya Marques Rocha
  • Mayara Viandelli Mundim Picoli
  • Mário Serra Ferreira
  • Satiro Watanabe
  • Wilson José Mariano Júnior
  • Carolina Cintra Gomes

Resumo

BIFOSFONATOS X OSTEONECROSE: RELATO DE CASO CLÍNICO

Nauanya Marques Rocha¹; Mayara Viandelli Mundim Picoli²; Mário Serra Ferreira², Satiro Watanabe²; Wilson José Mariano Júnior²; Carolina Cintra Gomes²

1- Discente do Curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis –UniEVANGÉLICA – Anápolis – GO - BR.

  1. Docentes do Curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA – Anápolis – GO - BR.

 

Resumo simples

O ácido Zoledrônico é um medicamento do grupo dos bifosfonatos utilizado para tratamento e prevenção de metástases ósseas em pacientes com câncer. Como efeitos colaterais podem causar: osteonecrose da mandíbula e com menor frequência em maxila. O objetivo desse relato é dar ênfase a anamnese e a relação do uso dos bifosfonatos. Paciente F.A.L, 67 anos, sexo masculino, compareceu à clínica Odontológica de Ensino da UniEvangélica com queixa de exposição óssea após exodontia sem cicatrização há seis meses. Na história médica paciente relatou ter sido submetido à cirurgia e quimioterapia para tratamento de câncer de próstata há 15 anos; fazendo uso mensal de ácido zoledrônico injetável. No exame físico intrabucal observou-se osso necrótico exposto em região posterior de maxila do lado direito e posterior de mandíbula do lado esquerdo. O paciente foi inicialmente medicado com Toragesic(10mg), bochecho com Clorexidina(0,12%) e Levofloxacina(500mg) por 14 dias. Após 15 dias houve melhora do quadro clínico e foi receitado Amoxicilina Tri-Hidratada + Clavulanato de Potássio. O paciente segue em proservação quinzenal sendo submetido à irrigação com clorexidina (0,12%), aguardando formação de sequestros ósseos e futura intervenção cirúrgica. Sendo assim, identificar por meio de uma anamnese o uso dos bifosfonatos é de fundamental importância para evitar quadros de osteonecrose, que apresentam difícil tratamento e redução da qualidade de vida do paciente.

Palavras-Chaves: Osteonecrose; Cirurgia bucal; Exodontia; Bifosfonatos          

Introdução

Os bifosfonatos são drogas analógicas sintéticas de pirofosfato inorgânico, um composto naturalmente presente nos organismos, servindo como um regulador fisiológico da calcificação e reabsorção óssea inibidor. O agrupamento de amina aumenta exponencialmente a potência do fármaco, levando a supressão da regeneração óssea com propriedades antiangiogênicas e ativador de linfócitos T, resultando em um efeito tumoricida. Essas drogas se acumulam na matriz óssea e são liberados lentamente durante períodos prolongados, com meia vida de aproximadamente 10 anos. Portanto, apresentam riscos ao desenvolvimento de osteonecrose, que é dose-dependente. Mesmo após a interrupção do medicamento, o risco de desenvolver osteonecrose permanece. O ácido Zoledrônico é um medicamento do grupo dos bifosfonatos utilizado para tratamento e prevenção de metástases ósseas em pacientes com câncer de próstata. Dentre os efeitos colaterais este fármaco pode apresentar osteonecrose da mandíbula, e com menor frequência em maxila. Nessa circunstância uma parte do tecido ósseo da mandíbula perde seu suprimento sanguíneo, podendo levar à perda dental, infecções ou ferimentos na maxila e mandíbula. A osteonecrose pode ser sintomática ou assintomática, apresentando coleção purulenta do osso exposto. A mandíbula é o local primário afetado pela osteonecrose, extrações dentárias após o uso dos bifosfonatos é o principal fator local associado ao desenvolvimento da osteonecrose.

Recentemente, um grande número de pacientes desenvolveu osteonecrose dos maxilares relacionada à medicação. Este tipo de necrose é mais comum entre pacientes com malignidades ósseas (por exemplo, mieloma múltiplo [MM] ou câncer de mama metastático ao osso), que também estão recebendo tratamento com drogas intravenosas (por exemplo, bisfosfonatos ou denosumabe). Osteonecrose relacionada à medicação dos maxilares também pode ocorrer entre pacientes que estão recebendo bisfosfonatos orais (BPs) para osteoporose. A osteonecrose relacionada à medicação do desenvolvimento da mandíbula aparece relacionada à potência e duração do uso do medicamento.

Objetivos

Esclarecer ao cirurgião-dentista quanto à importância da anamnese e revisar os conhecimentos atuais sobre a etiologia e o tratamento da osteonecrose da mandíbula induzidos por bifosfonatos, visando melhorar o conhecimento dos profissionais buscando a qualidade de vida dos seus pacientes. Evitar os efeitos colaterais dos bifosfonatos após uma exodontia é o objetivo desse relato de caso.

Desenvolvimento

Paciente F.A.L, 67 anos, sexo masculino, compareceu à clínica Odontologia de Ensino da UniEvangélica com queixa de exposição óssea após exodontia sem cicatrização há três meses. Na história médica paciente relatou ter sido submetido à cirurgia e quimioterapia para tratamento de câncer de próstata há 15 anos; fazendo uso mensal de ácido zoledrônico injetável desde então. Durante exame físico intrabucal observou-se osso necrótico exposto em região posterior de maxila do lado direito e posterior de mandíbula do lado esquerdo. Nas imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico observou-se áreas osteolíticas em maxila do lado direito e mandíbula do lado esquerdo. O paciente foi inicialmente medicado com Toragesic (10mg) em caso de dor, bochecho com Clorexidina (0,12%) e Levofloxacina (500mg) por 14 dias. Após 15 dias o paciente retornou apresentando melhora do quadro clínico e foi receitado Amoxicilina Tri-Hidratada + Clavulanato de Potássio. O paciente segue em proservação quinzenal sendo submetido à irrigação com clorexidina (012%), aguardando formação de sequestros ósseos e futura intervenção cirúrgica.

Considerações Finais

Sendo assim saber identificar por meio de uma boa anamnese o uso dos bifosfonatos é de extrema importância para evitar quadros de osteonecrose que são considerados efeito colateral quando há manipulação óssea. Esses quadros apresentam difícil tratamento e redução da qualidade de vida do paciente, apresentando na maioria das vezes dor e mal hálito.

REFERÊNCIAS

  1. ENDO Y, KUMAMOTO H, NAKAMURA M, SUGAWARA S, TAKANO-YAMAMOTO T, SASAKI K, TAKAHASHI T. Underlying Mechanisms and Therapeutic Strategies for Bisphosphonate-Related Osteonecrosis of the Jaw (BRONJ). Biol Pharm Bull. 2017;40(6):739-750. 2. MINIELLO TG, ARAÚJO JP, SILVA MLG, PAULO KOWALSKI L, ROCHA AC, JAGUAR GC, ABREU ALVES F. Influence of bisphosphonates on clinical features of osteoradionecrosis of the maxilla and mandible.Oral Dis. 2019 Mar 1.
Publicado
2019-05-30
Edição
Seção
Resumo