TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR FEIXE CÔNICO APLICADA AO DIAGNÓSTICO DE 4º MOLAR: RELATO DE CASO

  • Daniela Ribeiro Dias
  • Thiago Oliveira Sousa
  • Marília Oliveira Morais
  • Juliano Martins Bueno
  • Carolina Cintra Gomes
  • Mayara Barbosa Viandelli Mundim-Picoli

Resumo

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR FEIXE CÔNICO APLICADA AO DIAGNÓSTICO DE 4º MOLAR: RELATO DE CASO

 

Daniela Ribeiro Dias1

Thiago Oliveira Sousa2

Marília Oliveira Morais2

Juliano Martins Bueno2

Carolina Cintra Gomes2,3

Mayara Barbosa Viandelli Mundim-Picoli2,3

 

1- Discente do Curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis - UniEvangélica

2- Departamento Científico do Centro Integrado de Radiodontologia – C.I.R.O.

3- Docente do Curso de Odontologia do Centro Universitário de Anápolis - UniEvangélica

 

RESUMO SIMPLES

Hiperdontia é o desenvolvimento de número aumentado de dentes, denominados supranumerários, que podem ser encontrados em qualquer região dos arcos dentários. Os dentes supranumerários são, geralmente, assintomáticos e diagnosticados num exame radiográfico de rotina, ou são descobertos em decorrência de distúrbios de erupção, rotação dental ou deslocamento de dentes vizinhos. O objetivo do presente estudo é relatar um caso clínico de dente supranumerário retido, 4º molar. Paciente do gênero masculino, 22 anos, compareceu a clínica radiológica para realização de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) solicitada pelo cirurgião-dentista com o intuito de avaliar o dente 38, que não havia erupcionado. O exame por imagem revelou a presença do dente 38 incluso e impactado, por um dente supranumerário 4º molar em região de ramo da mandíbula do lado direito. O dente 38 estava em posição angular vertical, enquanto o supranumerário estava em posição horizontal, com a coroa em contato com a coroa do 38. Observou-se íntima relação de proximidade dos dentes com o canal da mandíbula do lado direito. Não houveram evidências de reabsorção no dente 38. Diante dos achados, foi realizado planejamento cirúrgico para exodontia dos mencionados dentes. No presente caso, a TCFC se mostrou como uma ferramenta importante para diagnóstico do dente supranumerário (4º molar), bem como para propiciar um planejamento cirúrgico mais cauteloso ao caso, evitando possíveis riscos ao paciente.

Palavras-chaves: Anormalidades da Boca, Anormalidades Dentárias, Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

            Os 3º e 4º molares inferiores geralmente são encontrados inclusos ou semi-inclusos. Isto normalmente se deve à falta de espaço para erupção e a limitação do crescimento esquelético. A manutenção intraóssea prolongada ou definitiva destes dentes podem levar a uma série de alterações patológicas. Portanto para realização com exatidão de um procedimento, foi utilizado a Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico (SANTOS, 2016).

            Esse exame por imagem é um instrumento importante para a visualização das estruturas anatômicas e das patologias em três dimensões e com melhor resolução. Por isso é considerada uma das técnicas mais precisas para se obter a verdadeira relação espacial do 3º e 4º molares inferiores e entre seus ápices com o canal da mandíbula (SANTOS, 2016).

            Dentre as vantagens da tomografia computadorizada destaca-se o melhor planejamento da cirurgia, reduzindo o tempo cirúrgico e o estresse durante a cirurgia obtendo melhor informação ao paciente sobre o seu procedimento e sobre os riscos que estão associados. Como desvantagens da tomografia computadorizada possui dose de radiação a que o paciente é submetido e o custo do procedimento (SANTOS, 2016).

            Então nos casos em que a radiografia panorâmica indica a existência de relação de proximidade entre o canal da mandíbula e o 3º e 4º molar inferior, a TCFC é o exame de escolha para realizar um melhor planejamento, evitar e/ou minimizar complicações no trans e no pós-cirúrgico, devido a sua dose de radiação, à geração de imagens tridimensionais e de alta resolução (ALVES, 2011).

OBJETIVO

O objetivo deste estudo foi relatar um caso clínico que foi realizado uma Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico (TCFC) aplicada em diagnóstico de 4º molar inferior.

DESENVOLVIMENTO

            A tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) se tornou um método auxiliar de diagnóstico amplamente aceito na Odontologia por oferecer dados tridimensionais com menor custo e dose de radiação para o paciente quando comparada à tomografia computadorizada multidetector (VALENTE ET AL., 2016). Essa tem sido sugerida quando há suspeita de contato do terceiro molar inferior com o canal da mandíbula, pois acrescenta informações detalhadas sobre a relação vestíbulo-lingual dessas estruturas, possibilitando uma melhor visualização das raízes do dente, além da posição e do trajeto do canal da mandíbula (ALVES, 2011).

            Neste caso clínico observa-se paciente do gênero masculino, 22 anos, compareceu a clínica radiológica para realização de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) solicitada pelo cirurgião-dentista com o intuito de avaliar o dente 38, que não havia erupcionado. O exame por imagem revelou a presença do dente 38 incluso e impactado, por um dente supranumerário 4º molar em região de ramo da mandíbula do lado direito. O dente 38 estava em posição angular vertical, enquanto o supranumerário estava em posição horizontal, com a coroa em contato com a coroa do 38.

             Foi analisado a íntima relação de proximidade dos dentes com o canal da mandíbula do lado direito. Não houveram evidências de reabsorção no dente 38. Diante dos achados, foi realizado planejamento cirúrgico para exodontia dos mencionados dentes. No presente caso, a TCFC se mostrou como uma ferramenta importante para diagnóstico do dente supranumerário (4º molar), bem como para propiciar um planejamento cirúrgico mais cauteloso ao caso, evitando possíveis riscos ao paciente.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No presente caso, a TCFC se mostrou como uma ferramenta importante para diagnóstico de molares inclusos inferiores, para ser efetuado um planejamento com melhor exatidão e evitar falhas ou risco durante o procedimento. Além do mais, deve-se salientar da necessidade de estudos por parte do CD para que ele reconheça as estruturas locais e diferencie as alterações de normalidades assim como patologias e possa então fornecer um diagnóstico preciso.

 

REFERÊNCIAS

Alves, CA et al. Importância da Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico na Avaliação da Relação entre Terceiros Molares Inferiores e o Canal Mandibular. Rev ABRO, v.12, n.2, p. 70-78, 2011.

Santos, LPLM. Avaliação do terceiro molar inferior em imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico: influência dos parâmetros de aquisição. Piracicaba, 2016.   

Prado, R; Salim, M. Cirurgia Bucomaxilofacial – Diagnóstico e Tratamento. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.

Valente, NA; Soares, BM; Santos, EJC; Silva, MBF. A importância da TCFC no diagnóstico e localização de dentes supranumerários. Rev. Bras. Odontol. vol.73 n.1 Rio de Janeiro Jan./Mar. 2016.

 


 

Publicado
2019-05-29
Edição
Seção
Resumo