DESENVOLVIMENTO INICIAL DE MARACUJAZEIRO-AZEDO SOB DISTINTAS DOSES DE TIAMINA EM DIFERENTES TIPOS DE SUBSTRATOS

  • Wagner Gonçalves Vieira Junior Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Neto"
  • Sillas Martins Mendonça Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Diogo Jânio de Carvalho Matos Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Danilo Wanderley Mendes Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnologia - FCAT/UNESP
  • Matheus Luis Oliveira Cunha Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnologia - FCAT/UNESP
  • Anderli Divina Ferreira Rios Faculdade Evangélica de Goianésia - FACEG
Palavras-chave: Propagação de plantas, Passiflora edulis, Germinação, Vitamina B1

Resumo

O gênero Passiflora possui um grande número de espécies, mais de 400, sendo cerca de 120 nativas do Brasil. A produção comercial de mudas de maracujá é realizada principalmente através de sementes e também através da propagação vegetativa. As plantas de maracujazeiro originadas de sementes são mais vigorosas e precoces do que aquelas provenientes de enxertia. As plantas necessitam de substratos com características físicas, químicas e microbiologia que proporcionem a semente uma germinação adequada, além de garantir o desenvolvimento da planta e de seu sistema radicular. O experimento foi conduzido na Faculdade Evangélica de Goianésia – Goianésia Goiás, em blocos casualizado em fatorial 4x3 com 6 repetições, sendo o primeiro fator compostos por quatro doses de tiamina (vitamina B1), sendo elas: 0mg L-1, 100mg L-1, 300mg L-1 e 500mg L-1 e o segundo fator constituído por três substratos, sendo eles: esterco bovino (solo, areia e esterco bovino, proporção de 1:2:1), cama de frango (solo, areia e esterco de frango, proporção de 1:2:1) e substrato comercial Tropstrato®. As sementes de maracujazeiro (Passiflora edulis) foram plantadas em sacos plásticos pretos de capacidade para 1kg. A semeadura foi realizada com três sementes por saco, posteriormente realizando o desbaste permanecendo apenas uma planta por unidade. Após 40 dias da semeadura as plantas foram retiradas do substrato, limpas e analisadas quanto á: comprimento de planta (caule e parte aérea), comprimento de raiz (final da raiz até a inserção do caule), massa fresca de parte área (folhas) e massa fresca total da planta. Verificou-se que a tiamina tem ligação com o desenvolvimento vegetativo da planta. Doses de 500mg L-1 são eficazes apenas quando utilizada junto a substrato comercial em variáveis quanto ao tamanho de planta e peso de folhas. Ao se utilizar substrato a base de cama de frango, a dose de 300 mg L-1 é a mais eficaz em todas as variáveis avaliadas. Para esterco bovino a dose 100 mg L-1 é mais eficaz com exceção para tamanho de planta.

Publicado
2019-06-03