AVALIAÇÃO DE DIFERENTES QUANTIDADES DE HIDROGEL NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMÃO PAPAYA

  • Mirian Nomura Universidade Federal de Uberlândia
  • José Mendes Pereira Filho Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Estevam Matheus Costa Instituto Federal Goiano
  • Leandro Spíndola Pereira Instituto Federal Goiano
  • Matheus Vinicius Abadia Ventura Instituto Federal Goiano
Palavras-chave: Polímeros hidroretentores, Carica papaya, fruticultura

Resumo

O trabalho foi desenvolvido na UEMG, na unidade de Ituiutaba, iniciado em setembro e avaliado em outubro de 2018. Avaliou-se a produção de mudas de mamão papaya com diferentes dosagens de hidrogel. Os tratamentos consistem em diferentes dosagens; T1 – testemunha; T2 – 4g; T3 – 6g; T4 – 8g e T5 – 10g. O delineamento experimental foi em Inteiramente ao acaso (DIC) com quatro repetições, sendo dez plantas por parcela experimental. Os resultados avaliados foram número de folhas, diâmetro do caule, altura da parte aérea, comprimento raiz, matéria fresca da parte aérea, matéria fresca raiz, matéria seca da parte aérea e matéria seca raiz. Os dados foram submetidos à análise de variância (Teste F) e as médias dos tratamentos foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Na produção das mudas do mamão papaya o uso das dosagens de 4,0 e 6,0 g de hidrogel proporcionou o melhor desenvolvimento das mudas nas variáveis analisadas.

Biografia do Autor

Mirian Nomura, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia (1997) e mestrado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal de Uberlândia (2001). Doutoranda em Agronomia na Universidade Federal de Uberlândia. Professora na Universidade do Estado de Minas Gerais.

José Mendes Pereira Filho, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil

Estevam Matheus Costa, Instituto Federal Goiano

Discente do Programa de Pós Graduação em Ciências Agrárias - Agronomia (nível Mestrado) no Instituto Federal Goiano, Campus Rio Verde; Engenheiro Agrônomo pela Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG; Técnico em Agroindústria pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro - IFTM. Atualmente desenvolve pesquisas na área de Biologia e Manejo de Plantas Daninhas (Matologia), Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Produção e Tecnologia de Sementes.

Leandro Spíndola Pereira, Instituto Federal Goiano

Acadêmico do curso de Agronomia, do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia Goiano - campus Rio Verde. Aluno de Iniciação científica desde 2° Semestre de 2015(FAPEG 2015-2017; CNPq 2017-2018), do laboratório de plantas daninhas do IF Goiano - Campus Rio Verd

Matheus Vinicius Abadia Ventura, Instituto Federal Goiano

Discente de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano campus Rio Verde e de Licenciatura em Matemática pela Faculdade Educacional da Lapa. Mestre em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano campus Rio Verde (2019) e Bacharel em Agronomia pela Faculdade Evangélica de Goianésia (2017). Tem experiência em docência em Matemática no Ensino Fundamental Anos Finais e Ensino Médio. Tem experiência na área de pesquisa e desenvolvimento em Agronomia, com ênfase em Microbiologia Agrícola, Fertilidade do Solo e Ciência do Solo. 

Publicado
2019-06-03