EFEITO ALELOPÁTICO DE EXTRATOS AQUOSOS DE FOLHAS DE MANGUEIRA SOBRE A GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO DAS PLÂNTULAS DE ALFACE

  • Estevam Matheus Costa Instituto Federal Goiano/Mestrando em Ciências Agrárias-Agronomia
  • Ubiramar Ribeiro Cavalcante Mestre em Olericultura pelo Instituto Federal Goiano - IFGoiano - Câmpus Morrinhos-G
  • Alves Machado Silva Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Leandro Spíndola Pereira Instituto Federal Goiano
  • Matheus Vinícius Abadia Ventura Instituto Federal Goiano/Doutorando em Ciências Agrárias - Agronomia
  • Natielly Marques de Carvalho Instituto Federal Goiano
  • Henrique Pereira Franco Universidade do Estado de Minas Gerais
Palavras-chave: Aleloquímicos, Bioextratos, Bioherbicidas, Mangifera indica L., Lactuca sativa L.

Resumo

A mangueira (Mangifera indica L.) é uma espécie amplamente difundida pelo Brasil e vem sendo objeto de estudo pelo seu poder alelopático. O objetivou-se avaliar a influência de extrato aquoso das folhas de mangueira (Mangifera indica L. var. Bourbon), na germinação das sementes e no desenvolvimento das plântulas de alface (Lactuca sativa L. var. Americana Grandes Lagos 659). O experimento foi realizado no Laboratório de Análise de Sementes da Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Ituiutaba. O delineamento experimental utilizado foi em blocos inteiramente casualizados, com dez tratamentos, sendo divididos em duas partes: extrato aquoso de folhas secas de mangueira e extrato aquoso de folhas verde de mangueira, com quatro concentrações para cada uma: 0, 25, 50, 75 e 100%, com quatro repetições por tratamento, e 50 sementes por parcela. Foi avaliada a germinação (%) e o comprimento, em centímetros, da radícula e da parte aérea das plântulas. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância pelo teste F e as médias comparadas pelo teste de Tukey. Todos os parâmetros avaliados foram afetados pelos tratamentos testados, em comparação com a testemunha, sendo que, quanto maior a concentração dos extratos de folhas secas e verdes, menor foi a porcentagem de germinação das sementes, e menor o comprimento da radícula e parte aérea das plântulas de alface.

Biografia do Autor

Estevam Matheus Costa, Instituto Federal Goiano/Mestrando em Ciências Agrárias-Agronomia

Discente do Programa de Pós Graduação em Ciências Agrárias - Agronomia (nível Mestrado) no Instituto Federal Goiano, Campus Rio Verde; Engenheiro Agrônomo pela Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG; Técnico em Agroindústria pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro - IFTM. Atualmente desenvolve pesquisas na área de Biologia e Manejo de Plantas Daninhas (Matologia), Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Produção e Tecnologia de Sementes.

Publicado
2019-06-03