ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM MÁS OCLUSÕES: UM ESTUDO TRANSVERSAL

Autores

  • Ranyelle Rânyla Nunes Alves Universidade Evangélica de Anápolis-UniEvangélica
  • Monarko Nunes de Azevedo
  • Gustavo Adolfo Martins Mendes

Palavras-chave:

Qualidade de vida, Questionário, Má oclusão

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto da má oclusão na qualidade de vida de pacientes adultos jovens. Para isso, foram selecionados pacientes sob tratamento odontológico na clínica odontológica de ensino da Universidade Evangélica de Anápolis - UniEvangélica. Foram coletados dados sociodemográficos e clínicos de acordo com o Índice de Estética Dental (DAI). Além disso, foi avaliada a qualidade de vida dos participantes por meio do questionário Psychosocial Impact of Dental Aesthetics Questionnaire (PIDAQ), que analisa a influência de fatores como a preocupação com estética dos dentes e o impacto social e psicológico sobre a qualidade de vida.  Um total de 90 indivíduos de ambos os sexos, com média de idade de 22.9 anos, foi incluído no estudo. A análise dos resultados demonstrou que a ausência de incisivos, caninos e pré-molares (p= 0.023) e a existência de espaçamento em um seguimento incisal (p= 0.039) têm um impacto negativo na qualidade de vida. Os resultados dos testes de comparação dos escores do PIDAQ e seus domínios com as categorias de tipos de má oclusão do DAI mostrou uma diferença significativa para a autoconfiança sobre os dentes (ASD) (p= 0.027) e a preocupação com a estética (PCE) (p= 0.037). Conclui-se que a ausência dentária, diastemas, bem como a autoconfiança sobre os dentes e a preocupação com a estética estão associadas com a qualidade de vida e podem ser previsores para a necessidade de tratamento ortodôntico.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Edição

Seção

PBIC - UniEVANGÉLICA