CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E POTENCIAL DE RECICLAGEM EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR- O CASO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS, GOIÁS

  • Bruno Francisco de Souza Moura
  • Vittoria Alves Caixeta Xavier
  • Vívian da Silva Braz

Resumo

O manejo adequado dos resíduos urbanos é um dos principais desafios em direção à sustentabilidade ambiental nas universidades. Para a implementação efetiva de um sistema de gerenciamento de resíduos sólidos, o primeiro passo é realizar um estudo de caracterização. Neste trabalho, apresentamos o resultado de um estudo de caracterização dos resíduos sólidos no Centro Universitário de Anápolis, em Goiás.

A preocupação com a temática ambiental vem ganhando espaço crescente em Instituições de Ensino Superior. Isto tem se revelado a partir da abordagem educacional, na preparação de estudantes e fornecimento de informações e conhecimento sobre gestão ambiental e nos exemplos práticos incorporados na operação de seus campi (TAUCHEN E BRANDLI, 2006). Segundo Tauchen e Brandli (2006), no caso de campi universitários, muitas vezes seus impactos socioambientais podem ser considerados iguais ou superiores ao de uma indústria ou empresa, dependendo do seu tamanho ramo de produção. O alto consumo de energia e água, associado a uma grande geração de resíduos orgânicos e sólidos, além do deslocamento dos indivíduos, pode contribuir significativamente para emissões de gases de efeito estufa, a poluição atmosférica e hídrica, além de impactos no seu entorno, como aumento do tráfego, ruídos, entre outros. Como consequência das atividades de operação do campus há geração de resíduos sólidos e efluentes líquidos, consumo de recursos naturais, ou seja, a visão industrial de inputs e outputs (LAYRARGUES et al., 2011). Suas estruturas cada vez maiores, pela crescente demanda da criação de novos cursos e vagas para estudantes, passam a impactar de forma negativa o meio ambiente (CASAGRANDE JR., 2016)

Publicado
2019-01-23
Edição
Seção
PBIC - UniEVANGÉLICA