FACULDADE ABERTA DA TERCEIRA IDADE: a experiência da arte na qualidade de vida do idoso

  • Amanda Ribeiro Leão
  • Kelly Luana Drodoski
  • Sara Santos
  • Simone Maria da Silva Rodrigues
  • Luana Bispo de Assis
  • Leonardo Freitas da Silva
Palavras-chave: Faculdade Aberta da Terceira Idade, Arte, Idoso, Desenho, Relatos de Experiência

Resumo

INTRODUÇÃO
A Faculdade Aberta para da Terceira Idade (FATI) é direcionada a pessoas com mais de 60 anos. O Projeto é desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal de Goianésia e a Panificadora Café com Pão. É um projeto sustentado pelos saberes dos aspectos jurídicos, biológicos, psicológicos, social, digital, cultural e políticos, visando à melhoria de qualidade de vida e à valorização da pessoa idosa, estimulando-a a uma vida ativa e independente na sociedade, a partir do conhecimento de seus direitos, potencialidades cognitivas e de atividades diversas.
O objetivo principal da Faculdade Aberta da Terceira Idade é desenvolver estudos na área da gerontologia, tendo um grupo próprio de estudo e participação de professores em diversas áreas do conhecimento com a finalidade de produção na área do envelhecimento e melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa. Os encontros em 2018/1, ocorrem todas as quintas feiras, oportunidade em que há o fomento de pesquisa para sistematização da produção científica.
A metodologia empregada nesta oficina foi o fomento de atividades artístico-culturais.
Por integrar diversas áreas com abordagem interdisciplinar, preocupa-se com a formação da consciência social, política e jurídica dos idosos, com ações de caráter multiplicador, norteador por seus ideais e direcionamentos, cujo impacto social se contextualiza pela qualidade de vida e a promoção de ações que visem melhorias a toda a comunidade, notadamente, da região do Vale do São Patrício, com alcance em todo o Estado de Goiás, Brasil, e consequentemente, no país e no mundo, em face do bem viver promovido aos idosos.
No dia vinte e dois de março de dois mil e dezoito às quatorze horas nas dependências da Faculdade Evangélica de Goianésia, foi realizada mais uma aula do projeto FATI (Faculdade Aberta da Terceira Idade). Presentes os professores: Eder Mendes, Maxilene, Prof. Luana e da monitoria: Alunos Amanda Leão, Sara Santos e Leonardo Freitas.
No início da oficina os professores Eder e Maxilene se apresentam, Eder falou da
continuidade do aprendizado abordando a respeito do tema das memorias e de recordações que
os idosos tiveram no passado, de lembranças positivas e negativas que afetaram e afetam eles
nos dias de hoje.
Em continuidade o professor realizou uma dinâmica com os alunos em que eles
desenharam em folhas de papel com lápis e giz de ceira as melhores lembranças.
Após realizarem a primeira tarefa o professor os separou em grupos para que os alunos
se apresentassem aos colegas e compartilhassem tais lembranças.
Por fim os professores Eder e Maxilene agradeceram a participação e a colaboração
daqueles que contribuíram para uma aula agradável e dinâmica. Após os agradecimentos foram
servidos lanches para os alunos, fornecidos pela panificadora Café com Pão.
REFERENCIAL TEÓRICO
O referencial teórico do presente trabalho tem por base Roberta Dalla Vecchia, que trata da
qualidade de vida do idoso.
METODOLOGIA
A metodologia empregada para evidenciar a validade da pesquisa científica é o método
dedutivo. Ademais, deve-se os procedimentos metodológicos que possibilitam o
desenvolvimento da pesquisa, como técnicas de relados de experiencias vivenciados no dia-adia
da Faculdade Aberta da Terceira Idade. Este é o espaço da pesquisa, ou seja, é a técnica de
como foi desenvolvido o trabalho. Nesse sentido, os autores vem detalhar, de forma lógica e
linear, todas o bem viver demonstrado na Faculdade Aberta da Terceira Idade.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Durante a execução das oficinas, foram atendidos cerca de 50 idosos, mulheres e
homens, que compõem a região de aproximação geográfica, sendo que muitas utilizaram
transporte privado ou caminharam para acesso às atividades do projeto.
Os alunos se posicionam a respeito do lembranças e a importância das memórias.
O resultado é que o Projeto Faculdade Aberta para a Terceira Idade tem caráter
multiplicador e socializador e por meio do ensino, pesquisa e extensão possibilita a
sistematização e difusão do conhecimento das questões referentes ao envelhecimento.
CONCLUSÕES
Assim, é necessário questionar o trato ao idoso com relação aos Direitos Humanos em
contraposição a discursos autoritários e fomentadores de violência ao idoso. No que tange à
inclusão – visto que determinados benefícios têm sido interpretados como “privilégios” – a
educação cujo acesso não tem se democratizado na perspectiva necessária contribui para o
aumento do fosso social assim, como as políticas de acessibilidade ao idoso que tem a pretensão
de dar acesso e de enxergar os espaços públicos como destinados à ocupação não só do idoso
mas de qualquer indivíduo.
Além disso, registra-se esse momento histórico de instrumentalização, com intuito de
aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a viver juntos, em uma
perspectiva de continuidade de aprendizagem. A iniciativa transforma-se em um espaço de
convivência social, de aquisição de conhecimentos em áreas do seu interesse e de
conhecimentos voltados para o envelhecimento sadio e digno.

Publicado
2018-05-17