FERIMENTO POR ARMA BRANCA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • José Igor Ferreira Santos Jesus Faculdade Evangélica de Goianésia - FACEG
  • Fabiana Alves Esteves
  • Gabrielle de Oliveira Silva
  • Mariana Santos Pereira
  • Natalia Lopes Cunha
  • Thalita Cássia Souza Faria
  • Raquel Barbosa Scalabrini Sousa

Palavras-chave:

Cuidados de Enfermagem, Urgência e Emergência, Violência

Resumo

Introdução: Os ferimentos por arma branca são traumas físicos que podem ser causados por meio de violências ou também acidentalmente. Há uma estimativa de que cerca de 5,8 milhões de mortes no mundo ocorrem devido a algum trauma. Além disso, aproximadamente 10% das causas de morte no mundo é acometida por algum tipo de trauma, pressupondo um considerável aumento até o ano de 2030. Com isso, o presente trabalho tem como objetivo de relatar um atendimento de FAB sob a ótica de acadêmicas de enfermagem no último ano de sua graduação. Metodologia: Trata-se este de um estudo descritivo, qualitativo e retrospectivo do tipo relato de experiência desenvolvido numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Resultados: G.S.V., 18 anos, sexo masculino, encaminhado à Sala de Classificação de Risco e atendido, inicialmente, pelo docente responsável e pelas acadêmicas, onde exibe ferimento por arma branca no abdome. Aos sinais vitais apresentava-se: P.A.: 110x70 mmHg; F.C.: 98 bpm; F.R.: 22 irpm; SpO2: 98%; Tax: 36,1ºC; HGT: 82 mg/dL. Encontrava-se lúcido e orientado em tempo e espaço, sudoreico, pele fria, hipocorado (2+/4+) e com cianose de extremidades. Transferido para Sala Vermelha e, concomitantemente ao atendimento, avaliação da ferida pelo médico plantonista. Realizou-se regulação via sistema integrado e a transferência para hospital municipal. Ao chegar ao hospital de destino, encaminhado com urgência para tomografia computadorizada de abdome total, identificando-se ferimento perfuro-cortante em hipocôndrio esquerdo, com extensão intra-abdominal e líquido livre em cavidade. Após avaliação no hospital de destino, paciente foi regulado e transferido para hospital de grande porte e de referência para intervenção cirúrgica. Discussão: A violência é uma realidade vivenciada pelos brasileiros e isto resulta no reconhecimento da relevância dos serviços de saúde, que é fundamental no seu enfrentamento. Na epidemiologia do FAB, o tórax e abdome são as regiões mais acometidas, tendo como perfil os jovens do sexo masculino, nas três primeiras décadas de vida, com idade média de 21 anos. Além disso, as principais causas desse trauma são as agressões, bem como é constante a ligação com o uso de entorpecentes como álcool e drogas. Conclusão: Com base no relato, conclui-se que os ferimentos por arma branca atingem principalmente jovens masculinos e por meio da ligação direta com a violência. A sistematização da equipe durante o atendimento acarretou em um desfecho favorável para a vítima. O caso descrito foi corroborado com os achados na literatura.

Publicado

2022-10-18