As MULHERES NA CIÊNCIA BRASILEIRA E O ENFRENTAMENTO AO ASSÉDIO E AO PRECONCEITO DE GÊNERO

Autores

  • Wanndo Rafael Batista FACULDADE EVANGELICA DE GOIANÉSIA FACEG
  • Cristiane Ingrid de Souza Bonfim Faculdade Evangélica de Goianésia - Faceg

Palavras-chave:

assédio, preconceito, gênero, mulheres, trabalho

Resumo

Introdução: O presente estudo aborda dois principais problemas vividos pelas mulheres que estão inseridas no âmbito da ciência brasileira, expondo assim o assédio sofrido diariamente na área de trabalho dessas mulheres, e paralelo a isso, o preconceito imposto por uma sociedade machista ao gênero feminino em ambientes de trabalho.

Objetivo: Demonstrar como as mulheres ainda sofrem frequentemente questões de assédio, e de preconceito ao gênero em locais de trabalho.

Metodologia: A metodologia usada foi o estudo de casos e pesquisa bibliográfica, os objetivos foram exploratórios e além disso, foi utilizada uma abordagem qualitativa, tendo como natureza aplicada.

Resultados e Discussão: Mediante ao exposto, é de suma importância citar que, um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil é: Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação (artigo 3º, IV, Constituição da República Federativa do Brasil de 1988), contudo, é possível perceber que na pratica não acontece da seguinte forma supramencionada, já que atualmente diversas são as notícias e casos expostos pela mídia sobre racismo e diversos outros tipos de preconceitos que subsiste na sociedade brasileira. No que se refere a mulher na ciência brasileira, visivelmente enxerga-se grandes quantidades de assédios sofridos por estas, que acaba prejudicando diretamente na carreira (uol, da universa, Assédio sexual prejudica carreira de mulheres na ciência, diz estudo). Por outro viés, é possível enxergar que muitas mulheres vêm cada vez mais liderando e se destacando em pesquisas importante para o Brasil e para o mundo, porém o preconceito imposto pela sociedade ao gênero feminino, faz com que mulheres não produzam ou não ocupem cargos teoricamente reservados a elas, devido a melhor qualificação e trabalho, isso evidencia um retrocesso nos direitos femininos e brasileiro, ferindo assim diretamente um dos objetivos da CF/88.

Considerações finais: Conclui-se que, a única forma de mudar uma questão que envolve assédio e preconceito do gênero feminino, é punindo cada vez mais aqueles que praticam essas condutas que estão previstas em lei. Sendo assim, mediante ao exposto trabalho, notícias e denúncias, que as pessoas se informa e conscientizar cada vez mais sobre o assunto, e não deixar questões como gênero atrapalhar na ciência brasileira, e que assédios possam ser evitados por parte dos profissionais do gênero masculino, para que a sociedade brasileira junto a ciência possa se torna cada vez melhor.

Publicado

2022-10-13