A IMPORTÂNCIA DE UM INTÉRPRETE NO ENSINO, E A INSERÇÃO DESTE SURDO NA SOCIEDADE.

  • Ana Beatrtiz Miranda Oliveira UEG
  • Sidnei Sanches Nascimento da Silva
Palavras-chave: Educação; Interprete; Cognitivo

Resumo

Resumo: INTRODUÇÃO: A inclusão do aluno surdo no ensino regular é de total direito do mesmo, e segundo OS DISPOSITIVOS DA LEI 10.436 E DO DECRETO 5.626, a inserção deste aluno ressalta a necessidade de um profissional capacitado para interpretar, executar e traduzir a língua brasileira de sinais. A necessidade do referido tradutor, vai além de simplesmente repassar as informações em LIBRAS, e sim, em uma forma de reduzir a dificuldade de comunicação entre os surdos, e os demais alunos, tanto dentro, quanto fora da sala de aula. A partir disso, é atribuída involuntariamente ao intérprete diversa funções como: auxiliar no comportamento do aluno, atender as demandas pessoais (falar que quer ir ao banheiro, beber água, perguntar sobre o conteúdo, etc), contribuindo no âmbito educacional como um todo. A partir de leituras é possível perceber que há um atraso no que tange à aprendizagem e, por conseguinte, no desenvolvimento cognitivo dos surdos. OBJETIVO: O trabalho teve por objetivo ressaltar a importância de um intérprete na sala de aula. METODOLOGIA: trata-se de uma pesquisa de referencial teórico, a qual contou com conteúdo do Portal da Educação, Decreto do Planato 5.626, alé do livro Educação de Surdos de Wolney Gomes. RESULTADO E CONCLUSÃO: Diante de tudo que fora exposto, essa pesquisa serviu para evidenciar que, a utilização do intérprete bem como o direito de o surdo em ter esse profissional em sala ainda é desconhecida por muitos. Diante disso, é correto afirmar que, há um longo caminho para a mudança na escola aconteça. Estudos são necessários para que resultados mais fidedignos sejam encontrados.

Publicado
2019-11-04