Combustor

  • matheus moreira andrade FACEG
Palavras-chave: combustor, motor otto, combustão

Resumo

A escolha desse tema é para o entendimento de um combustor ou câmera de combustão, no intuito de desmembrar a sua funcionalidade no geral. A câmara de combustão também chamada de combustor é o espaço dentro do motor onde ocorre o processo de combustão. Sua função primordial é queimar a mistura de ar e combustível para que essa reação gere energia suficiente para mover os pistões. Para que isso aconteça, a queima precisa ser eficiente. Assim como o resfriamento dos gases produzidos durante o processo senão o sistema de exaustão não conseguirá trabalhar em contato com temperaturas tão altas. A participação da câmara de combustão é crucial na fase admissão do processo de combustão. Nesse momento, a câmara é preenchida com o carburante (gasolina, etanol, diesel etc.) para dar início à queima. Depois da reação já concluída, o compartimento é todo esvaziado para dar lugar ao próximo ciclo. O combustor tem vários modelos, basicamente, todos devem ter: carcaça, camisa interna perfurada (admite a entrada de ar), sistema de injeção de combustível, sistema de ignição, sistema de drenagem (retira os resíduos de combustível). Existem basicamente quatro tipos de combustor. Todos funcionam com o mesmo princípio, o que muda é a eficiência em alcançar seu objetivo ou seja proporcionar uma queima com maior eficiente. Os modelos existentes são: caneca, caneca-anular, anular e anular de fluxo reverso. Esses combustores trabalham com quatro movimentos do pistão no cilindro, o que completa um ciclo. Esse ciclo de funcionamento foi aplicado por Nikolaus Otto e por isso também são chamados de "motor de 4 tempos" ou "motor Otto". Esses tempos são divididos em admissão, compressão, explosão e expansão.

 

Publicado
2019-11-04