O eletromagnetismo e sua aplicação

Aplicação do eletromagnetismo no projeto

  • Larissa Gabriele Fonseca
  • Felipe Augusto Fernandes Faceg
  • Renato Borges Santana
  • Solliane Gonçaves da Silva Brito
Palavras-chave: Eletromagnetismo, Aplicação

Resumo

 

Não se tem ao certo a origem do magnetismo, diz uma lenda que um pastor de ovelhas da Grécia Antiga fez a primeira observação das propriedades magnéticas de uma pedra. O pastor possuía um cajado com ponta de ferro, e cada vez que encostado na pedra seu cajado ficava preso por uma força.

      O nascimento do eletromagnetismo se deu no século XIX com a experiência do físico Hans Christian Oesterd. Ele notou que ao colocar uma bússola sobre uma corrente elétrica a agulha da bússola desviava. Outros físicos como Joseph Henry e Heinrich Lens também devem ser lembrados por contribuições ao eletromagnetismo.

       No planeta Terra o polo norte magnético está localizado próximo ao sul geográfico e o polo sul magnético ao norte para onde as linhas de indução convergem está localizado próximo ao norte geográfico. O eletromagnetismo é produzido por cargas elétricas em movimento, duas cargas de mesmo sinal se repelem, e quando de sinais contrários se atraem. A força destas interações é diretamente proporcional a sua quantidade de carga e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa.

A teoria eletromagnética é muito usada na construção de geradores de energia elétrica, dentre estes destacam-se os alternadores ou geradores de corrente alternada, que propiciam maior rendimento que os de corrente contínua por não sofrerem perdas mediante atrito.

 

Aplicação do eletromagnetismo no projeto

Ao aproximar-se um ímã de uma pilha observa-se uma variação em sua força eletromotriz, que é a medida da energia fornecida a partir de cada unidade de carga elétrica nela contida. Essa alteração é interrompida quando se imobiliza o ímã, e adquire sinal contrário quando este é afastado. A partir daí percebe-se que os campos magnéticos produzem correntes elétricas em um circuito e que o sentido de seu fluxo tende a compensar a perturbação exterior, com a indução simultânea de um campo magnético oposto ao inicial.

      A corrente elétrica que circula em um condutor gera um campo magnético associado que, como efeito derivado, induz no condutor uma corrente de sentido contrário ao da inicial. A utilização da mola juntamente ao imã e a pilha permitiu a transferência de energia para a mola, permitindo simultaneamente que houvesse a locomoção da pilha por entre o eixo construído em formato de mola.

Publicado
2019-11-04