Paracoccidiodomicose

Relato de um caso clínico

  • Isabela de Carvalho Matias Pinho Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Gisele Pereira De Almeida
  • Bruna Lavinas Sayed Picciani
  • Renata Tucci
  • Marilia Oliveira Morais
  • Cristiano Magalhães Moura Vilaça
Palavras-chave: Paracoccidiodomicose, Trabalhador Rural, Infecções fúngicas

Resumo

A paracoccidioidomicose é uma doença sistêmica, endêmica, causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis. Ocorre em regiões tropicais e subtropicais sendo o Brasil considerado o centro endêmico dessa doença na América do Sul. Há grande incidência em trabalhadores rurais, cuja atividade permite o contato direto e frequente com o solo contaminado. As lesões orais, em sua maioria, estão presentes em pacientes que apresentam a doença na sua forma crônica. Clinicamente se apresentam desde uma lesão granulomatosa, de aspecto moriforme a ulcerações maiores, de bordas elevadas em vários sítios da cavidade oral, tendo como um dos principais diagnósticos diferenciais o carcinoma de células escamosas. Para esses casos, são utilizados como tratamento medicamentos antifúngicos ou em alguns casos cirurgias orais. Alguns pacientes podem apresentar febre alta, lesões cutâneas, perda de peso e envolvimento pulmonar. O diagnóstico definitivo é realizado através da análise anatomopatológica do espécime obtido pela biópsia incisional, colorações especiais como PAS e Grocott. O objetivo deste trabalho foi trazer um relato de caso de um paciente, sexo masculino, de 64 anos, residente e trabalhador rural no interior do estado de Minas Gerais. Este, apresentava uma lesão ulcerativa em ápice de língua de aproximadamente 2 x 1,5 cm com região central fibrinopurulenta, bordas levemente elevadas e endurecidas e pontos eritematosos na periferia da lesão. O mesmo relatou o aparecimento há 40 dias, sem resolução após a utilização de medicamentos indicados por um farmacêutico de sua cidade. Não havia presença de sintomas. Foi realizada biópsia incisional. O exame anatomopatológico revelou epitélio escamoso estratificado com projeções pseudocarcinomatosas. O tecido conjuntivo apresentou grande presença de infiltrado inflamatório crônico com inúmeras células gigantes multinucleadas. Para a definição do diagnóstico foi realizado o teste com coloração de Grocott, que evidenciou a presença do fungo no interior das células multinucleadas confirmando o diagnóstico de paracoccidiodomicose. O raio-x de tórax não revelou lesões pulmonares. Para este caso, está sendo utilizado Itraconazol 100mg, 1 vez ao dia. O paciente encontra-se em tratamento há 30 dias com notável diminuição da lesão. Permanecerá ainda em tratamento pelo tempo necessário sob supervisão e acompanhamento do cirurgião-dentista responsável. Este relato evidencia e corrobora a importância do odontólogo no diagnóstico, condução e tratamento dos acometimentos orais, sendo estes reflexo de alterações sistêmicas, ou não.

Publicado
2019-11-04