Meio ambiente e a Bíblia

  • RAFAEL PEREIRA LEMES Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Daniel Gomes de Almeida
Palavras-chave: Bíblia, Meio ambiente, Direito ambiental

Resumo

 

O presente trabalho tem como objetivo apresentar a relação entre o direito ambiental e a tradição bíblica. O método utilizado para elaboração do trabalho é o bibliográfico, pelo modo dedutivo. Quando se trata de meio ambiente, que é composto por toda a vegetação, animais, recursos naturais e os demais, é necessário levar em consideração a humanidade que nela está inserida, essa que possui capacidade racional para se manter e manejar esse meio. Dessa forma, não se pode desprezar o acúmulo de conhecimento da humanidade decorrente de milênios de anos de experiência direta com a natureza. E ao pensarmos em acúmulo de conhecimento e experiências, bem como numa forma de preservá-los, a bíblia, e a tradição que a orbita, surgem como um dos principais pontos a serem analisados.

Podemos encontrar em versículos bíblicos orientação e a responsabilização do homem para cuidar desse meio em que vive. Como podemos ver no livro de Gênesis: “E tomou o senhor Deus o homem e o pôs no jardim para lavrar e o guardar”.  (BÍBLIA, Gênesis, 2, 15).

Pela tradição judaico-cristã, desde o princípio do mundo foi estabelecida uma relação entre o homem e a natureza. Com papel laboral, lavrando-a, cultivando-a e se beneficiando com os frutos e recursos que ela oferece; como guardião, zelando para que a natureza mantivesse seu estado natural, a sua capacidade de produção e, consequentemente, não se extinguisse. Surge daí umas das primeiras concepções de cultura sustentável que a humanidade elaborou. O homem foi posto como senhor da terra, ao mesmo tempo sentinela.

Os textos bíblicos foram os princípios basilares de várias culturas e como instrumento interpretativo da condição humana com o seu meio. Através de suas historias, alegorias e parábolas apresenta o nexo entre a divindade, à humanidade e a natureza. Da mesma forma, as chamadas “leis divinas”, como os dez mandamentos, por exemplo, foram a principal referência para a criação de diversos sistemas jurídicos que regem sociedades até a atualidade. Na área ambiental a importância não é menos relevante. O “lavrar e guardar” hoje toma proporções que não se atem meramente a tradição religiosa e espiritual, mas, ao passo que o empreendedor esqueceu-se do guardião, a questão ambiental é analisada hoje, e principalmente, no âmbito jurídico.

Discussão:

Com todo o exposto, pode se dizer que a bíblia tem uma grande relevância na abertura nos olhos da humanidade para a importância do meio ambiente. E também, através das culturas que nela se baseiam, tem uma parcela de participação no processo de percepção do homem à necessidade de serem criadas normas que regulem a relação do homem com a natureza.

 

Referências:

BÍBLIA, Português. A Bíblia Sagrada: Antigo e Novo Testamento. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição rev. e atualizada no Brasil. Brasília: Sociedade Bíblica do Brasil, 1969.

LIMA, F.W. A Bíblia e o Direito: Princípios ambientais. 1º Edição. Leme – São Paulo: Editora Edijur, 2015.

Publicado
2019-11-04