Aspectos Epidemiológicos da Dengue no Centro-Oeste

  • Marcus Vinícius Cordeiro Costa Universidade de Rio Verde
  • Alanna Moreira Borges
  • Mayva Luany Oliveira Pires
  • Raiane Antunes Sampaio
Palavras-chave: Dengue, Notificação de Doenças, Vigilância Epidemiológica

Resumo

INTRODUÇÃO: A dengue é uma patologia infecciosa febril aguda que pode cursar em forma benigna ou grave, sendo considerado um problema de saúde pública, principalmente em países ou biomas tropicais, cujas condições são favoráveis a proliferação do vetor Aedes Aegypti, mosquito originário do Egito, país repleto de regiões com clima desértico. O bioma no Brasil que mais se assemelha ao descrito é o Cerrado, principal bioma do centro-oeste brasileiro, tornando assim, a dengue um problema de saúde pública nos estados que compõem essa região do Brasil. OBJETIVO: Identificar o número de casos de dengue notificados  nos estados que integram a região Centro-Oeste entre 2008 e 2018. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal e descritivo realizado através da base de dados secundários coletados por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), sistema pertencente ao DATASUS. Para a exibição dos dados, foi selecionado "Ano de Atendimento" em Linha, "Unidade da Federação" em Coluna e "Internações" em Conteúdo. O intervalo de tempo selecionado foi de 2008 a 2018 e na Lista de Morbidades do CID-10, foi selecionado "Dengue (dengue clássico)". A abrangência Geográfica selecionada foi a região Centro-Oeste de acordo com as Unidades Federativas, sendo Mato Grosso do Sul (MS), Mato Grosso (MT), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). RESULTADOS: Os dados analisados foram organizados entre os cinco estados que fazem parte da região Centro-Oeste do Brasil, sendo os números totais  de atendimentos no tempo analisado distribuídos da seguinte forma: 55.781 (61%) no GO, 17.619 (21%) no MT, 14.812 (16%) no MS e 3.476 (3%) no DF, totalizando assim, 91.422 de casos entre 2008 e 2018 em todo o Centro-Oeste. Os anos de maior e menor incidência foram, respectivamente, 2010 com 17.743 casos e 2017 com 3.942 casos, sendo 8.311 a média de casos na região Centro-Oeste nos últimos 10 anos. Em relação aos estados, observou-se maior média de número de casos em GO, sendo 5.052 casos, seguido por MT com 1.597, MS com 1.345 e DF com 315 casos entre 2008 e 2018. CONCLUSÃO: Apesar da diminuição de incidência ao longo dos anos, a dengue persiste como importante agravo epidemiológico representado por números notáveis de novos casos e importantes repercussões na saúde pública em todo território nacional, especialmente no bioma Cerrado, e mais seriamente no estado de Goiás. Como alternativa para amenizar o problema exposto, a sensibilização da população para a importância do combate à dengue associada ao incentivo das práticas divulgadas em campanhas do Ministério da Saúde são medidas desejáveis que tem potencial para melhorar índices epidemiológicos futuros.

Publicado
2019-11-04