Crescimento do milho irrigado com água residuária de bovinocultura

  • Grasiele Teixeira da Silva FACEG
  • Ana Cláudia Oliveira Servúlo Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Fernando de Castro Belo Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Ana Paula Maciel Braga Faculdade Evangélica de Goianésia
Palavras-chave: Fertirrigação, Reuso da água, Produtividade

Resumo

A água é um recurso natural cuja forma “doce” está distribuída de forma irregular, tanto no espaço quanto no tempo. A humanidade demanda aproximadamente 14% das águas renováveis do mundo, sendo o consumo distribuído entre atividades domésticas (10%), industriais (20%) e irrigação (70%) (REBOUÇAS, 2004). A irrigação com águas residuárias interfere positivamente no desenvolvimento de culturas devido à disponibilização de nutrientes no solo (SANDRI et al., 2007), oriundos dos dejetos orgânicos (NOBRE et al., 2010; CHICONATO et al., 2013).  A matéria orgânica, fornecida a partir de esterco animal e compostos orgânicos, além de melhorar características físicas e químicas do solo, permite reduzir a utilização de adubos químicos (GALBIATTI et al., 2007). Objetivou-se, com esse trabalho garantir a qualidade dos recursos naturais (água e solo) e da oferta de água a curto e longo prazo, em paralelo com a redução de custos com insumos na agricultura irrigada, o presente projeto ainda avaliou o incremento em biomassa na cultura do milho e em carbono no solo submetidos à fertirrigação com efluente de casa de ordenha submetido ao tratamento primário. O experimento foi instalado em ambiente protegido, na Fazenda Escola do curso de Agronomia da Faculdade Evangélica de Goianésia. Para a montagem do experimento foram utilizados vasos de polietileno preenchidos cada um com 1,5 kg de solo, perfazendo um total de 30 unidades experimentais. O experimento foi realizado com 5 tratamentos, seis repetições,.O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. A semeadura foi realizada depositando de 3 a 5 sementes de milho (Zea mays) por vaso, e posterior desbaste para permanência de apenas uma planta. Após 60 dias de plantio as plantas foram coletadas, sucedido da separação em parte aérea e sistema radicular. Tendo sua biomassa fresca determinada, posteriormente acondicionadas em sacos de papel e secas em estufas de ar com circulação forçada à temperatura de 55-65°C até atingir peso constante. Depois de secas, as partes da planta foram pesadas para determinação da biomassa seca. O consumo hídrico foi determinado pela evapotranspiração real da cultura (ETr), determinada com auxílio de uma balança (microlisímetro de pesagem). Concluiu- se que a dose de 100% do efluente proporcionou maior volume de massa seca de raiz e massa seca da parte aérea. Sendo que o crescimento da biomassa se comportou de uma maneira diferente entre as doses. Todos os tratamentos expressaram um aumento no teor de matéria orgânica no solo e a dosagem com 75% do efluente apresentou um maior teor de matéria orgânica.

 

Publicado
2019-10-30