RIQUEZA E DIVERSIDADE FUNCIONAL DA ICTIOFAUNA PRESENTE NA BACIA DO RIO DAS ALMAS, ALTO RIO TOCANTINS, GOIÁS, BRASIL

  • Lucas Borges Bernardes da Costa UniEvangélica
  • Rhuâna Thayná B. Nascimento Unievangélica
  • Francisco Leonardo Tejerina-Garro Unievangélica
  • Rodrigo Assis de Carvalho
Palavras-chave: Migração, guilda trófica, cuidado parental, riqueza de espécies

Resumo

O Brasil possui uma elevada diversidade de espécies de peixes de água doce presente nas diferentes bacias hidrográficas como é o caso da Tocantins-Araguaia. O presente estudo objetiva avaliar a riqueza de espécies e a diversidade funcional da ictiofauna em rio e riachos do rio das Almas, alto da bacia Tocantins-Araguaia em Goiás. As coletas foram realizadas em cinco estações na calha principal do rio das Almas (4ª-6ª ordem) e em 48 afluentes, compreendendo seis estações por sub-bacia (rios do Peixe, Bois, Pari, São patrício, Sucuri, Uru, Verde e Vermelho/de 1ª-3ª ordem). As coletas de peixe nos cursos de 4-6ª foram realizadas com de rede de espera e nos de 1-3ª ordem foi utilizado a pesca elétrica. Nos sistemas amostrados foi coletado 5.213 exemplares distribuidos em seis ordens, 27 famílias e 102 espécies e morfoespecies. Desse total, 28 espécies foram observadas no rio das Almas e 87 espécies nos riachos. As ordens Characiformes e Siluriformes foram as mais representativas, a primeira no rio e a segunda nos riachos. A familia Characidae apresentou a maior contribuição, e entre as espécies, apenas cinco apresentaram-se abundantes: Bryconamericus sp., Loricaria sp., Knodus sp., Knodus cf. chapadae  e Hypostomus sp. A riqueza estimada foi de 147 espécies, os maiores valores de riqueza foram observados nos riacho. Doze espécies possuem ocorrência apenas para as bacias Tocantins-Araguaia Com relação aos aspectos funcionais, as espécies de peixes da calha principal se caracterizam por ser onívoros, com cuidado parental e com duas espécies com hábito migratório de longa distância, enquanto que nos tributários os peixes são detritívoros, não apresentam cuidado parental e quatro espécies apresentam migrações de longa distância. Os resultados sugerem diferenças entre a calha principal e os tributários no que diz respeito à riqueza estimada e e aspectos funcionais das espécies amostradas entre rio e riachos da cabeceira do rio Tocantins.  

Publicado
2019-10-30