Adequação do potencial hidrogeniônico de águas utilizadas na aplicação de defensivos agrícolas em diferentes estações do ano.

  • Maurício Oliveira Barros FACEG
  • Samuel Rodrigues de Freitas
  • Daniel Ferreira Caixeta
Palavras-chave: adjuvante, calda, redutor, pulverização.

Resumo

A eficiência dos defensivos agrícolas ao atingir o alvo depende de vários fatores, como a adequação do potencial hidrogeniônico (pH) da água utilizada no preparo da calda. Objetivou-se com este trabalho avaliar a resposta do pH de águas usadas no preparo da calda à adição de dois adjuvantes agrícolas em diferentes doses e em quatro épocas de coleta ao longo do ano. O delineamento utilizado nos ensaios de laboratório foi o de blocos ao acaso com quatro repetições. Foram testadas amostras de água provenientes de sete fontes, utilizou-se dois adjuvantes com quatro doses para cada um, coletadas em quatro períodos. Os pHs iniciais de todas as amostras foram comparados utilizando o teste de X². A análise de regressão foi realizada por meio do método Quasi-Newton para ajustar os modelos exponenciais decrescentes. A avaliação do pH foi realizada com 2 e 74 horas após a adição dos adjuvantes para avaliar o poder tampão na dose máxima do produto. As datas foram comparadas entre si para cada condição testada por meio da análise de variância. Cada fonte de água possui características diferentes. E nos extremos pôde-se observar as amostras coletadas na Fazenda Vargem Grande (mais alcalina) e Pai José (mais ácida em condições de campo). As amostras coletadas no Inverno nas fontes das Fazendas Vargem Grande 1, 2 e Usina Goianésia apresentaram o pH mais alto quando comparadas à água coletada no Verão, Outono e Primavera. As águas mais alcalinas tendem a resistir mais à ação dos redutores de pH. De modo geral, quanto maior a dose do redutor de pH, menor foi o pH da água. Os modelos mais adequados para explicar a relação entre a dose dos adjuvantes Atumus® e Acquamax® com o pH das amostras de águas nas diferentes estações do ano foram  e . Esses modelos foram utilizados para gerar uma planilha eletrônica capaz de prever as doses dos redutores de pH de acordo com a faixa de pH ótimo dos produtos fitossanitários. As amostras coletadas na Fazenda Vargem Grande I e II resistiram mais à ação dos redutores sobre o pH do que as demais ao longo do tempo. De modo geral, apenas as águas mais duras resistiram à ação tamponante dos redutores testados. Faz-se necessário recomendar o uso dos redutores de pH em condições de campo mediante diversos critérios, a fim de evitar perdas nas aplicações de defensivos.

 

Palavras-chave: adjuvante, calda, redutor, pulverização.

Publicado
2019-10-30