Micorriza arbuscular em diferentes espécies de pimentas do gênero capsicum

  • Elias Felipe da Cunha Júnior Cunha Felipe FACEG
  • Thaynara da Silva Barbosa FACEG
  • Jhonathan Borba Martins FACEG
  • Jordanna Garcia Azevedo FACEG
  • Rodrigo Fernandes de Souza FACEG
  • Jadson Belem de Moura FACEG
Palavras-chave: pimentas Capsicum, esporos, colonização micorrízica

Resumo

 

 Os fungos micorrízicos arbusculares cumprem funções na ciclagem de nutrientes e na produtividade dos ecossistemas, enriquecendo o aprendizado sobre as atividades, a diversidade e a biologia desses micro-organismos. Objetivou-se com este trabalho verificar quantitativamente a densidade de esporos e a taxa de colonização micorrízica em solos rizosféricos de quatro espécies de pimentas Capsicum. Experimento inteiramente casualizado, transplantados para vasos plásticos depois da formação das mudas em bandejas de 128 células. Após seu desenvolvimento, foram coletadas amostras dos vasos e submetidas aos processos de extração de esporos utilizando a técnica de peneiramento úmido para a contagem dos esporos, e da colonização micorrízica através da quantificação das raízes finas coletadas e submetidas a um aquecimento com uma solução de KCl a 10%, posteriormente colorida por ácido acético e tinta de carimbo, sendo os procedimentos executados no laboratório de microbiologia da Faculdade Evangélica de Goianésia. Os resultados foram estabelecidos pelo programa ASSISTAT pelo teste Skott-Knott em 5% de probabilidade, não indicando diferenças estatísticas para as análises de densidade e colonização, informando que independente da espécie o percentual quantitativo foi igual. Concluindo que não houve diferença significativa nos tratamentos, portanto, a taxa de esporos e colonização foi igual para todos os casos.

Publicado
2019-10-30