DESENVOLVIMENTO DA PARTE AÉREA DE MINIRREBOLOS DE CANA-DE-AÇÚCAR EM FUNÇÃO DE DOSES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO E ÁCIDO GIBERÉLICO ASSOCIADAS A TEMPOS DE IMERSÃO

  • Millena Yorrâna Oliveira Silva Faculdade Evangélica de Goianésia - GO
  • Mirelly Martins da Silva
  • Leidiane dos Santos Lucas
  • Doralice Ferreira Alves
  • Joseanny Cardoso da Silva Pereira
Palavras-chave: hormônios vegetais, propagação, produtividade

Resumo

O plantio da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é realizado por meio de material propagativo assexuado, utiliza-se propágulos, pedaços do caule da cana, denominados de toletes ou rebolos. Para reduzir a quantidade de material propagativo e diminuir custos de produção, surge o sistema de mudas pré-brotadas (MPB), que diminui o volume de mudas, com produção rápida, elevado padrão de fitossanidade e vigor. Em algumas variedades, os índices de enraizamento e brotação são baixos, como a variedade CTC 9001, uma das variedades mais utilizadas na formação de canaviais nas usinas de Goianésia-GO. A utilização de reguladores de crescimento que estimulem o enraizamento e a brotação é essencial para o sucesso desse sistema. Como substâncias reguladoras do crescimento, as auxinas são as que tem apresentado os maiores efeitos na formação de raízes adventícias e as giberelinas, proporciona o alongamento de partes aéreas e das brotações durante a multiplicação. O tempo de exposição do propágulo ao regulador de crescimento depende da dosagem e do tamanho do caule. Objetivou-se avaliar o desenvolvimento da parte aérea de minirrebolos de cana-de-açúcar com o uso de doses e tempos de imersão dos reguladores de crescimento AIB e GA. Os minirrebolos utilizados foram obtidos da variedade de cana-de-açúcar CTC 9001, com 3 cm e apenas uma gema cada. Delineamento inteiramente casualizado (DIC) com quatro repetições, esquema fatorial 5 x 3 (doses de AIB – 500 e 1000 mg L-1, dose de GA – 60 mg L-1, combinações – 500 mg L-1 AIB + 60 mg L-1 GA e 1000 mg L-1 AIB + 60 mg L-1 GA e tempos de imersão – 1, 2 e 3 minutos), totalizando 15 tratamentos + testemunha (imersa em água destilada). Repetições  com 40 minirrebolos. Após os tratamentos, realizou-se o acondicionamento dos minirrebolos nas caixas de brotação, forradas com 2 cm de substrato, com a gema para cima e na horizontal e adicionou mais 2 cm de substrato. Irrigou-se cada caixa com 1 L de água, cobriu-se com lona preta por 15 dias. Parte aérea foi cortada rente ao minirrebolo e pesada fresca, e colocada em estufa a 65ºC e pesou-se novamente. Dados submetidos à análise de variância e as médias dos tratamentos comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade e as médias da testemunha comparadas pelo teste de Dunnet a 5%. AIB mostrou-se expressivo em todas as variáveis analisadas, até para a variável altura de plantas, apesar de ser considerado enraizador. As doses de AIB e GA foram efetivas na promoção do desenvolvimento da parte aérea de minirrebolos de cana-de-açúcar. Recomenda-se o uso da dosagem de 1000 mg L-¹ de AIB associada ao tempo de imersão de 1 minuto.

Publicado
2018-10-24