Análise físico-química da água de irrigação de hortaliças folhosas na zona Urbana de Goianésia - GO

  • Iara Alves Gonçalves
  • Sinara Ribeiro Souza
  • Julia Lima Barros
  • Rodrigo Fernandes Souza Faceg
Palavras-chave: Olericultura, água, Problemas de qualidade

Resumo

De maneira geral, as hortaliças apresentam um menor consumo no início de seu desenvolvimento, aumentando até um ponto máximo, onde a deficiência de água neste momento prejudica significantemente a formação de frutos, folhas, caules, raízes, rizomas ou tubérculos e posteriormente diminui o consumo novamente. A produção de alimentos está diretamente ligada ao uso de água. A agricultura irrigada depende tanto da quantidade como da qualidade da água, que inclui as características físicas e químicas e que tem sido desprezada. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar qualidade físico-química de águas utilizadas para irrigação de hortaliças na zona urbana da cidade de Goianésia. A pesquisa foi realizada na região urbana da cidade de Goianésia – Goiás, onde temperatura média varia de 16° a 33°C, umidade relativa do ar de 70%, e uma precipitação anual de 1600 mm. As análises laboratoriais foram conduzidas no Centro Tecnológico da Faculdade Evangélica de Goianésia. As amostras de água coletadas mensalmente foram analisadas para os indicadores de qualidade, conforme metodologias descritas no manual de análise de água da Funasa. Foram avaliados os seguintes parâmetros: Condutividade elétrica, alcalinidade total, dureza total, gás carbônico livre, turbidez e cloro residual livre. Os resultados foram comparados com os valores estabelecidos pela Resolução do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) N° 357, de 17 de março de 2005, para águas de Classe 1, que são destinadas à irrigação de hortaliças consumidas cruas. Para pH, observou-se então que 76% das amostras estão dentro do padrão ideal e 24% estão abaixo de 6,0, ou seja, estão com o pH mais ácido, o que pode resultar em problemas nas tubulações de irrigação, pois pH baixo torna a água corrosiva. O valor mínimo encontrando para condutividade foi 6,32 μS cm-1, na propriedade F, no mês de agosto e o máximo de 288 μS cm-1 na propriedade I no mês de junho. Para a variável dureza apenas a amostra da propriedade B apresenta uma média de 91,45 mg/L CaCO3, considerada uma água moderadamente dura, que pode causar a formação de cristais na abertura de saída de água do sistema de irrigação, que poderá fechar a passagem e diminuir a vazão do emissor. O restante das amostras apresentam valores abaixo de 75 mg/L, portanto são consideradas águas brandas ou moles. De maneira geral as águas utilizadas para irrigação de hortaliças na zona urbana de Goianésia estão dentro dos padrões estabelecidos pela legislação vigente. Portanto o produtor de hortaliças cultivadas na zona urbana da cidade de Goianésia/Go tem baixa probabilidade segundo o estudo realizado de ter eventuais problemas ocasionados pela má qualidade da água, o que também deixa o consumidor destes produtos com uma tranquilidade maior em relação a qualidade do alimento consumido em seu dia a dia.

Publicado
2018-10-24