SÍNDROME DO OVÁRIO POLICÍSTICO

UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

  • Camila Cardoso FACEG
  • Eva Vívian Costa e Silva Rodrigues
Palavras-chave: Síndrome do Ovário Policístico, Enfermagem, Tratamento Medicamentoso.

Resumo

Introdução – A síndrome do ovário policístico (SOP) é uma doença de causa multifatorial, uma patogenia endócrina complexa que leva a um desequilíbrio hormonal na mulher. Atinge cerca de 20% das mulheres em idade reprodutiva podendo acarretar na infertilidade, diabetes tipo 2, problemas cardiovasculares, hipercolesterolemia, obesidade, hipertensão arterial, e ainda, evoluir para câncer de endométrio e útero se não for tratado corretamente. O diagnóstico é feito por exames clínicos como exame laboratorial dos níveis hormonais (progesterona, testosterona, androstenediona e ultrassonografia). Esta síndrome está associada a fatores de risco como: cardiovascular, obesidade, resistência à insulina dislipidemias, hipertensão arterial, síndrome metabólica, além de risco aumentado para a intolerância à glicose e diabetes mellitius tipo 2, em idade mais precoce que o habitual. Os profissionais de enfermagem frente a essa síndrome precisam ter conhecimento sobre a mesma para poder auxiliar no diagnóstico precoce e para orientar os pacientes ao longo do tratamento. Objetivo – Sendo assim, o objetivo deste trabalho é fazer um levantamento dos principais conhecimentos sobre a fisiopatologia, tratamento e cuidados de enfermagem na SOP, afim de servir de instrumento aos profissionais de enfermagem para o eficaz cuidado à esta paciente com. Metodologia - Para desenvolver o trabalho e alcançar o objetivo proposto será desenvolvida pesquisa bibliográfica exploratória sobre a SOP, utilizando autores variados, revistas de saúde, periódicos e artigos científicos distribuídos nas principais plataformas de dados. Resultados – A síndrome do ovário policístico (SOP), conhecida também como síndrome de Stein, foi descrita pela primeira vez no ano de 1935 por Stein Leventhal, onde este observou a relação entre amenorreia, hirsutismo e obesidade com a SOP. Esta afeta um grande número de mulheres e torna-se necessário conhecimento sobre a patologia, pois essa é uma doença causada pelo desequilíbrio dos hormônios na mulher, possui causa multifatorial, podendo alterar o ciclo menstrual ocasionando problemas de pele, cistos nos ovários, infertilidade, ocasionando até mesmo um de câncer de útero e endométrio. Manifesta-se de forma assintomática, tornando seu diagnóstico complexo, uma vez que não possui um exame específico que comprove a síndrome. A SOP é comum em mulheres obesas, devido aos níveis circulantes mais elevados de estradiol e estrona consequentes à aromatização dos androgênios no tecido adiposo, mas também está presente nas que possuem índice de massa corporal normal. Para o tratamento, é recomendada a mudança no estilo de vida, uso de anticoncepcionais e também metformina. Os profissionais de enfermagem precisam estar preparados para atuarem de maneira significativa junto ao paciente orientando quanto ao uso de medicamentos, a eficácia dos mesmos nas manifestações clínicas e quais os resultados obtidos, e se houve complicações medicamentosas nos pacientes com SOP, e ainda as mudanças necessárias no estilo de vida. Considerações finais – A pesquisa possibilitou uma maior compreensão sobre a síndrome do ovário policístico e suas particularidades, contribuindo para a aquisição de conhecimento de acadêmicos e profissionais de enfermagem para sua atuação junto à comunidade.

Publicado
2018-10-24