TRATAMENTO DE BANANA MAÇÃ COM 1-MCP ASSOCIADAS A EMBALAGENS DE PEBD SOB TEMPERATURA AMBIENTE NA INFLUÊNCIA DA PERDA DE MASSA

  • Alessandra Paixão Aires Lima Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Joseanny Cardoso da Silva Pereira Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Suede Rodrigues Aragão
Palavras-chave: Glycinemax L., Emergência a campo, Germinação

Resumo

O aumento da produção de soja (Glycinemax L.), e o desenvolvimento de uma lavoura de alta qualidade representa uma das principais prioridades para o sucesso de uma empresa que trabalha no cultivo da soja. Para isso, a empresa conta com sementes de boa qualidade livre de problemas que tornam a semente inviável como plântulas com defeitos, plântulas anormais, sementes que não germinam por apresentarem dureza, dormência, sementes mortas, vazias, sem embrião ou com danos mecânicos, ou mesmo não se adaptarem às condições climáticas e de fotoperíodo regionais.  Para se obter uma lavoura de qualidade e garantir aumento da produção, o teste de germinação de sementes deve ser realizado com controle rigoroso, de forma a garantir a qualidade de acordo com a lei que é estipulada um mínimo de 80% para a germinação (lei 10.711, IN 45, anexo XXIII). Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade de diferentes lotes de sementes de soja da empresa Jayme e Jayme, produtora de soja no município de Vila Propício Goiás. O teste de emergência a campo utilizou-se sete tratamentos, cada um com quatro repetições de cem sementes. Foi acompanhado no mês de outubro de 2017, durante 20 dias. Foram analisados a germinação e o vigor dessas sementes e os cálculos para obtenção dos resultados são a soma das porcentagens de plântulas normais, plântulas anormais, sementes duras, dormentes e mortas deve totalizar 100%. Quando isso não ocorre, deve-se manter a aproximação do número inteiro para a porcentagem de plântulas normais pois, a prioridade é: plântulas normais, plântulas anormais, sementes duras, sementes dormentes e sementes mortas para totalizar 100%. Os resultados obtidos para a cultivar L34032 foi 76% de germinação, totalizando 24% de sementes inviabilizadas; cultivar 7548 L5557 foi 60%, com 40% de sementes inviáveis; cultivar 7548 L5564 foi 78% com 22% inviáveis; 791 foi 81% com 19% inviáveis; 7022 foi 88% com 12% inviáveis; 842 L340044 foi 83% com 17% inviáveis; BRS 8381 foi 72% com 28% de inviáveis. Logo, identificou-se as cultivares com baixo teor de germinação: cultivar L34032, cultivar 7548 L5557, cultivar 7548 L5564 e cultivar BRS 8381.

Publicado
2018-10-24