O potencial da utilização de plantas no tratamento de efluentes de laticínios.

  • Jonathan da silva Borba FACEG
  • Anielly Monteiro de Mello
  • Fânia Bailona Silva
  • Elitânia Gomes Xavier
  • Alexsander Novais Leste
Palavras-chave: efluentes, tratamento, plantas, aguapé.

Resumo

Com o aumento da demanda por água, associado à escassez de recursos hídricos e a poluição ambiental, faz com que seja necessária a busca por novas alternativas de preservação e reaproveitamento. O uso de plantas na despoluição da água e efluentes industriais aparece como uma possibilidade de tratamento sustentável. Objetivou-se com essa pesquisa avaliar o desempenho vegetal juntamente com a decantação e filtração no tratamento de efluentes, aproveitando suas características de retenção e eliminação de nutrientes. O experimento foi conduzido na indústria de laticínios Cooperativa Agropecuária de Goianésia Ltda - CAGEL. com coordenadas geográficas latitude (S) - 15°18'17.0; longitude (W) -49°05'45.4, situada no município de Goianésia região do vale do são patrício. O efluente utilizado no experimento foi coletado da lagoa de decantação da empresa que possui cerca de 3000000 litros de água contaminada, o mesmo foi transferido para um tanque metálico de 04 m de comprimento, 1,2 m de largura e 0,7 m de profundidade, com capacidade de 3360 litros. Foi utilizada no sistema a planta aquática (Eichhornia Crassipes) popularmente conhecida como aguapé além de bananeiras (Musa spp) e taiobas (Xanthosoma sagittifolium) por meio hidropônico. O sistema de tratamento foi mantido em repouso, o que proporcionou a decantação das partículas mais pesadas. Após a etapa de decantação e ação vegetal o efluente foi filtrado através de camadas de areia e brita. Foram definidas as principais condições físico-químicas do efluente bruto como: Turbidez, PH, Condutividade Elétrica, Cloretos, sólidos totais, temperatura e análises microbiológicas sendo comparadas com os resultados de cada etapa do sistema e com a legislação atual para lançamento de efluentes. Com o sistema adotado foram obtidos resultados satisfatórios durante o tratamento, como redução de turbidez (82,7%), sólidos totais (97%), condutividade elétrica (98%), cloretos (92%), DBO (média 32,5%), DQO (média 26,3%) e houve diminuição no número de bactérias patogênicas. O que implica que ao utilizar plantas, princípios de decantação e filtros de areia e brita é possível obter resultados satisfatórios quanto ao tratamento de efluentes industriais em especial os de laticínios. Os índices de Ph e temperatura apresentaram pouca variação e estão em conformidade com a legislação. De acordo com os resultados obtidos o Eichhornia crassipes reduz os níveis de matéria orgânica (DQO e DBO) e aumenta as taxas de oxigênio dissolvido. Conclui-se com essa pesquisa que o sistema desenvolvido se apresenta como um biofiltro saudável e de bom desempenho, além de uma alternativa sustentável e de baixo custo.

Publicado
2018-10-24