EFEITOS DO EXERCÍCIO SISTEMATIZADO SOBRE SÍNDROME METABÓLICA E APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA

  • Ruan kaique de Oliveira UniEvangélica
  • Bruno Oliveira Silva
  • Mayara Bernardo Albuquerque
  • Milena Santana França
  • Nathália Fernandes da Silva
Palavras-chave: Fisioterapia. Síndrome Metabólica. Aptidão cardiorrespiratória.

Resumo

Introdução:  Síndrome Metabólica (SM) é um fator de risco para formação de patologias contribuindo para o desenvolvimento de doenças como as cardiovasculares. Alguns fatores da SM incluem obesidade, alta circunferência abdominal/quadril (RCQ), baixo nível de lipoproteína de alta densidade nos níveis de colesterol, níveis elevados de triglicérides, aumento da pressão arterial e glicemia. (ALBERTI et al., 2009) Objetivos: Verificar efeitos do exercício sistematizado sobre a SM e aptidão cardiorrespiratória, através de uma revisão sistemática. Método: Buscou-se por ensaios clínicos nas bases de dados PUBMED, COCHRANE e BVSALUD, utilizando os termos “metabolic syndrome”, “cardiorespiratory fitness”, “oxygen consumption”. Apenas artigos dos anos de 2015 a 2019,  pesquisa em humanos, estudos publicados em inglês que apresentassem a relação da SM e aptidão cardiorrespiratória. Utilizou-se o instrumento PEDro de avaliação de qualidade de ensaios clínicos, onde foram excluídos os estudos que tiveram pontuação menor que 6/10 na escala. Resultados: Foram encontrados 29 artigos, após exclusão de duplicatas e leitura dos artigos, 7 foram selecionados por se enquadrarem aos critérios de inclusão. Os estudos trabalharam com HIIT e exercícios de intensidade moderada, todos obtiveram: perda de peso corporal, melhora da sensibilidade à insulina, benefícios no metabolismo e melhora na pontuação do z-escore estabelecido para a SM . Conclusão: Concluiu-se que o HIIT é mais eficaz para o aumento da aptidão cardiorrespiratória, quando comparado à outras modalidades. E diminui os  fatores de risco que influenciam a SM, sendo coadjuvante no tratamento da SM. 

Publicado
2020-01-02