AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE CUIDADORES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DEFICIÊNCIA MOTORA E AUDITIVA QUE UTILIZAM TECNOLOGIAS ASSISTIVAS

  • João Martins de Oliveira Filho Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA
Palavras-chave: Qualidade de Vida. Cuidadores. Crianças.

Resumo

Introdução: Uma deficiência promove impacto negativo na vida da criança e do adolescente afetado, como também daqueles ao seu redor. O aumento da dependência tende a aumentar o impacto na saúde dos responsáveis. As Tecnologias assistivas (TAs) facilitam as atividades de vida diária do cuidador, favorecendo a melhora da qualidade de vida do mesmo. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de cuidadores primários de crianças e adolescentes com deficiência auditiva e motora que utilizam TAs. Métodos: Trata-se de um estudo observacional transversal de cunho analítico, realizada com cuidadores de crianças e adolescentes que utilizavam alguma TA atendidos na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e no Centro de Reabilitação e Fisioterapia Dr. Syrio Quinan (CREFA). Os cuidadores foram divididos em dois grupos: Grupo Auditivo- os cuidadores de crianças e adolescentes com deficiência auditiva; Grupo Motor- cuidadores de crianças e adolescentes com deficiência motora. A qualidade de vida foi avaliada por meio do questionário The World Health Organization Quality of Life (WHOQOL-bref). Para avaliar a diferença da qualidade de vida entre grupos foi utilizado o teste ANOVA one way. O nível de significância considerado foi de p<0,05. Resultados: A média de idade do Grupo Motor e Auditivo foram 37,23 (±9,74) anos e 31,07 (±12,55) anos, respectivamente. A qualidade de vida estava regular em todos os domínios e em ambos grupos, com excessão das relações sociais (16,67±3,17) que apresentava boa no Grupo Auditivo. A qualidade de vida estava reduzida no Grupo Motor quando comparado ao Grupo Auditivo (p<0,05). Conclusão: A qualidade de vida dos cuidadores estava regular, exceto no domínio social que apresentou boa no Grupo Auditivo. Os cuidadores do Grupo Motor estavam com menor qualidade de vida.  

Publicado
2020-01-02