MILHETO (Pennisetum glaucum L.) NA REDUÇÃO DO NEMATOIDE DAS LESÕES RADICULARES

  • Grasiele Teixeira da Silva
  • Anderli Divina Ferreira Rios
  • Carolina Aparecida Straioto Cordeiro
  • Rafaela dos Santos Oliveira
  • Rafael Matias da Silva

Resumo

A cultura da soja (Glycine max (L.) Merril) tem grande relevância na balança comercial brasileira e no suprimento do mercado interno sendo considerada a principal “commodity” agrícola brasileira. O Brasil está em segundo lugar no ranque mundial, com uma produção de 95,434 milhões de toneladas (CONAB, 2017).  

A cultura da soja é acometida por diversos patógenos causadores de doença, entre esses patógenos, se destaca o nematoide Pratylenchus brachyurus (Dias et al., 2010).  Diversos métodos podem ser empregados no controle de P. brachyurus, como por exemplo, a rotação ou sucessão com culturas não hospedeiras, o controle biológico, o uso de plantas resistentes, o controle químico, uso de matéria orgânica (resíduos orgânicos) e o uso de plantas antagonistas (Ferraz et al., 2010).

Com relação a biomassa de resíduos de plantas, sabe-se que essas espécies vegetais estabelecem interações bioquímicas com os nematoides, reduzindo os níveis populacionais (Ferraz et al., 2010).  Diversas plantas são antagonistas a P. brachyurus, podendo ser utilizada em plantio intercalar, rotação ou sucessão de culturas ou como adubo verde como o milheto (Pennisetum glaucum  L.). Diante disso, objetivou-se com o trabalho avaliar o efeito de resíduos orgânicos do milheto na redução da densidade populacional de P.brachyurus

Publicado
2019-01-23