DESENVOLVIMENTO DA PARTE AÉREA DE MINIRREBOLOS DE CANA-DE-AÇÚCAR EM FUNÇÃO DE DOSES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO E ÁCIDO GIBERÉLICO ASSOCIADAS A TEMPOS DE IMERSÃO

  • Millena Yorrâna Oliveira Silva
  • Mirelly Martins da Silva
  • Leidiane dos Santos Lucas
  • Doralice Ferreira Alves
  • Joseanny Cardoso da Silva Pereira

Resumo

O plantio da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é realizado por meio de material propagativo assexuado, utiliza-se como propágulos, pedaços do caule da cana, denominados de toletes ou rebolos, contendo gema, reserva e hormônios vegetais. O plantio convencional mecanizado da cana-de-açúcar provoca danos às gemas dos rebolos, sendo necessário um volume maior de cana (LANDELL et al., 2012), para assim evitar decréscimos na produtividade e como as mudas representam o maior custo da operação (FAEG, 2016), o valor da produção se torna muito oneroso.

Com o intuito de reduzir a quantidade de material propagativo e, consequentemente, diminuir os custos de produção, surge o sistema de mudas pré-brotadas (MPB), o qual diminui o volume de mudas, com produção rápida, associada a elevado padrão de fitossanidade, vigor e uniformidade de plantio (LANDELL et al., 2012). O sucesso no sistema de MPB está relacionado às variedades, precisamente na capacidade de enraizamento e brotação dos minirrebolos e, em algumas variedades que são de importância comercial e amplamente utilizadas, os índices de enraizamento e brotação apresentam baixa porcentagem, como a variedade CTC 9001, uma das variedades mais utilizadas na formação de canaviais nas usinas de Goianésia-GO. Landell et. (2012) recomenda o uso de substâncias promotoras de enraizamento com o objetivo de obter mudas com maior vigor. Portanto, a utilização de reguladores de crescimento que estimulem o enraizamento e a brotação é essencial para o sucesso desse sistema.

Publicado
2019-01-23